Técnica Individual

 

- Saque - Parte I

- Tipos de Saque

 

É a primeira situação de jogo; o momento em que a bola entra em jogo. O saque ao longo do tempo evoluiu de tal maneira que se tornou o primeiro instrumento de pressão sobre o adversário. Tem como objetivos:

- a marcação de pontos, por erros na Recepção da equipe adversária em que bola "morre", e/ou por intermédio do "Ace", bola que toca diretamente o solo da quadra.

- táticos, ou seja, é utilizado para dificultar jogadas de ataque do adversário..

 

Nota

- Atualmente constitui a primeira dificuldade imposta ao adversário, pela agressividade com que é executado, e na praia há um complicador: o vento.

- O Saque, por sua importância tática e pela oportunidade de marcação do ponto, deve ser treinado exclusivamente e com a máxima concentração, pois não é mais, há muito tempo, simplesmente o ato de colocar a bola em jogo.

 

- Tipos de Saque.

 

- Saque por Baixo.

É utilizado por crianças na fase de iniciação e por adultos que não têm habilidade para executar saque mais contundente - tênis ou viagem - como é o caso dos "peladeiros" nos jogos recreativos.

Consiste em um golpe, com uma das mãos, por baixo da bola, com a finalidade de fazê-la ultrapassar a rede e entrar em jogo. Não é usado em jogos de campeonato (fig. S-01).

 

- Saque Tênis.

É o saque mais conhecido no voleibol, tanto nas quadras, quanto na praia. A rigor, é um saque de fácil execução, entretanto, existe uma grande diferença entre sacar e sacar bem. Para sacar bem é preciso aprende-lo e praticá-lo com a execução absolutamente correta. Por parecer muito simples, muitas vezes, treinadores e atletas, não se dão conta da importância do aprendizado e da prática com a técnica correta. Esse desmazelo é ruim, uma vez que, nas competições de alta competitividade, o saque tem que ser executado de tal maneira a fazer com que a trajetória da bola seja precisa e rápida.

 

- Execução Passo a Passo.

A execução é realizada da seguinte maneira:

1 - o afastamento das pernas é (aproximadamente) igual à largura dos ombros (boa base), a fim de que o corpo fique equilibrado no momento da execução;

2 - uma das pernas e o pé ligeiramente à frente do outro (ponta do pé que está atrás na linha do calcanhar do pé que está na frente). Na execução do saque com a mão direita, a perna e o pé esquerdo tem que estar na frente. Com a mão esquerda, a perna e o pé direito na frente;

3 - na preparação para o golpe, a bola deve ser segurada com a mão aberta, o braço estendido na altura do ombro (do mesmo braço) e o braço que desfere o golpe, atrás da cabeça e semiflexionado (foto a seguir);

 

 

4 - no momento do golpe, o jogador, com a mão que está segurando a bola, joga-a para o alto (acima e em frente da sua cabeça) e a golpeia com a mão direita ou vice-versa (foto a seguir).

 

 

Notas

- O cotovelo do braço que segura a bola deve estar na altura da cabeça (na linha dos olhos), no momento do golpe (foto a seguir).

- Aqui no JustVolleyball vou mencionar repetidas vezes o termo EIXO do JOGADOR. Significa a linha da coluna vertebral e da cabeça.

- Quando o jogador alça a bola e, posteriormente, a golpeia, esta tem que estar sobre este eixo (foto a seguir). Pelos seguintes motivos:

- o golpe na bola será desferido com o braço praticamente estendido e, consequentemente, no ponto mais alto possível;

- com a potência desejada;

- com menor risco de erro do local da bola em que o golpe tem que ser dado.

Quando ele alça e golpeia a bola à direita ou à esquerda do eixo, o braço estará semiflexionado. Isso é um fator que influencia negativamente a execução e, por conseguinte, a performance no saque (foto a seguir).

 

O saque Tênis é executado com algumas variações, a fim de diversificar a trajetória da bola.

 

A - Reto ou Balanceado.

O golpe na bola é desferido com a mão aberta , no centro da mesma, e "seco" (a sensação é a de que o jogador se arrepende de golpear, no momento de deferi-lo). O objetivo é fazer com que:

a - na sua trajetória, a bola "flutue" e chegue sem força por ocasião da recepção. O jogador que recebe é obrigado a executar o fundamento perfeitamente e ainda "bater" na bola com certa força, a fim de dirigí-la à zona de levantamento (foto a seguir);

b - na sua trajetória, a bola passe rente ao bordo superior da rede, com a maior velocidade possível.

 

 

Nota

Existem duas variações, quanto ao ponto em que a bola é golpeada:

- golpe abaixo do centro, a fim de que, em sua trajetória, a bola passe cerca de dois metros do bordo superior da rede e descaia no fundo da quadra (fig.1, a seguir);

- golpe acima do centro, a fim de que, na sua trajetória, a bola passe rente ao bordo superior da rede e descaia rapidamente (fig.2, a seguir).

 

 

 

É largamente executado pelos jogadores que sacam a favor do vento, pois nesta situação a batida com força na bola implica em menor risco de erro.

 

B - Rosca.

É uma variação em que o jogador obtém maior velocidade da bola, uma vez que pode golpeá-la com maior potência. O golpe é desferido na face externa, direita ou esquerda, da bola. Isso faz com que ela descreva uma parábola, "morrendo" à frente, à direita, à esquerda ou no fundo da quadra.

 

 

Nota

O saque Tênis contra o vento é dificílimo de ser recepcionado. Quando a bola "morre" antes do ponto em que o jogador que vai recepcioná-lo, dá a impressão de que vem na mão; quando "morre" no fundo da quadra, dá a impressão de que vai para fora.

 

Continuação no Art. 03 com o Saque Viagem

Voltar ao Menu Técnica Individual - Vôlei de Praia.