Estratégias/Táticas - Art. 28

Ataque

- Ataque Após a Recepção do Saque ("Side-Out").

- Ataque com Meia Bola.

É um tipo de levantamento bastante utilizado, sobretudo quando os jogadores possuem bom entrosamento. Na figura a seguir, o modo mais comum, isto é, no ponto em que o Jogador-Levantador (JL) se posiciona. Estão demonstrados também os pontos da rede nos quais a Meia Bola pode ser executada; numa das extremidades e/ou no terço central da rede. Estão destacados os pontos em que ao levantamento (PL) é realizado. Outro aspecto para ser observado na figura. Pode ser levantada tanto à frente quanto atrás do ponto em que o Jogador-Levantador (JL) está posicionado.

 

 

 

Pode ser executada com diferentes tipos de trajetória. Por exemplo.

- Perto do Posicionamento do Jogador Levantador (JL).

A bola descreve um semi-círculo entre a mão do levantador e o local em que o cortador a alcança para o golpe. De modo geral é realizada nas proximidades do levantador, independente do posicionamento em que este se encontre. O deal é que não varie muito; no máximo 1 metro.

 

- Afastada do ponto em que se posiciona o Jogador Levantador (JL).

É uma variação tática. JL levanta a cerca de 2 metros em relação ao ponto em que está posicionado. Tanto à sua frente e/ou à suas costas. Importante, na mesma altura. O expediente visa não deixar que o bloqueador adversário se posicione adequada e antecipadamente.

Nos diagramas a seguir, exemplos de pontos em que a Meia Bola é executada. No diag. 1, a Meia Bola Perto do Posicionamento de JL. JA se aproxima em direção ao PL e pode atacar à frente ou às costas de JL. No diag. 2, aproxima-se afastando - cerca de 2 metros - do PL. Tanto à frente quanto atrás do PL.

Além de ser muito utilizada após a recepção do saque é executada, também, em contra-ataque após uma defesa realizada próxima da rede ("largada"), com o objetivo de não deixar o adversário rearmar seu sistema defensivo. Recapitulando.

 

Quanto ao ponto da rede, pode ser realizada:- nas duas extremidades da rede;
 - um pouco mais curta;
 - no terço central da rede.

 

Quanto ao ângulo da trajetória da bola: - aberto (bolas no. 2 na fig. a seguir);
 - agudo (bola no. 1 na fig. a seguir).

 

 

 


 

- Procedimentos do Jogador-Levantador (JL).

 

- No Momento da Recepção.

- Deve deslocar-se o mais rápido possível para a Zona de Levantamento de maneira que, quando a bola chegar, já esteja preparado para executar o levantamento.

- Deve posicionar-se, rigorosamente, sob a bola; independentemente será fará o levantamento sobre o PL ou mais aberto. O principal ponto de referência do Jogador-Atacante (JA) é justamente seu posicionamento.

 

- No Momento do Levantamento.

- O toque é executado de maneira que a trajetória da bola seja sobre sua cabeça e/ou 1 metro à frente/atrás; mais do que isso descaracteriza o tipo Meia Bola.

- A altura da bola e seu afastamento em relação à rede é individual; de acordo com a capacidade de JA:

- muito alta, propicia tempo para o bloqueador adversário;

- muito baixa, dificulta a aproximação, o salto e os movimentos do tronco e dos braços de JA.

 

- muito proxima da rede, facilita o bloqueador adversário, e requer extrema velocidade de JA de modo que este possa dar as últimas passadas bem compridas, e salte absolutamente na vertical;

- muito afastada, facilita a ação defensiva do adversário.

 

- Após o Levantamento.

- Sugerir, ao companheiro, o local para onde deve dirigir o seu ataque; de modo geral, oposto onde se coloca o defensor ( "cantar").

- Deslocar-se para o local do ataque, a fim de efetuar a cobertura do mesmo.

 


 

- Procedimento do Jogador-Atacante.

 

- Após a Recepção do Saque.

- Dirigir-se ao local de onde faz a aproximação final para o ataque, de maneira que esteja a duas passadas do PL no exato momento em que JL executa o levantamento.

 

- No Momento da Aproximação para o Ataque.

- No momento em que a bola está às mãos do levantador, iniciar a aproximação final executando suas duas últimas passadas bem compridas a fim de saltar verticalmente. Isso, quando o levantador estiver impulsionando a bola.

 

Nota

Nunca é demais lembrar que as duas últimas passadas devem ser largas e extremamente velozes, a fim de que a impulsão seja absolutamente vertical.

 

- No Momento do Salto.

- Feita a aproximação por meio de duas passadas largas e rápidas, o atacante deve concentrar-se e:

- saltar cerca de 1 metro da rede, a fim de evitar que o movimento de seu braço fique tolhido, sobretudo se, por imprecisão, a bola for levantada mais distante da rede que o normal (a bola deve ficar entre o corpo do cortador e a rede);

- saltar verticalmente. Quando as duas últimas passadas são curtas, o jogador salta em um local e no ar o corpo desloca-se em direção à rede, sendo perdido o espaço mencionado acima.

 

- No Momento da Cortada.

- A cortada é desenlace da ação. Ou seja, sucede à aproximação, o salto e os movimentos do tronco e dos movimento do braço. Tudo isso na maior velocidade possível (velocidade de movimentos) de que o atacante é capaz

- No momento do golpe, na medida do possível, o cortador deve olhar o bloqueio e o posicionamento do defensor adversário, escutar a "cantada" do levantador e ter a necessária sensibilidade para o ataque. Esta sensibilidade que o atacante tem que ter, faz com que ele faça a melhor opção quanto a melhor maneira de atacar a bola.

 

Nota

No artigo 29 em serão abordadas as Fintas e Combinações, apresentarei exemplos das meias bolas em relação aos pontos das rede e em relação aos ângulos das trajetórias das bolas.

 

Continuação no artigo 29 com o Ataque por meio de Fintas e Combinações.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra