Estratégias/Táticas - Art. 26

 

- Ataque

- Ataque Após a Recepção do Saque ("Side-Out").

É o momento em que o ataque se constitui no ponto de equilíbrio do jogo. Entre duplas de alta competitividade os saques alternam-se inúmeras vezes sem que haja falha de recepção, levantamento ou ataque. Os pontos são obtidos quase sempre por mérito, ou seja, por meio de uma defesa excepcional, um saque excepcional, etc... No sistema de contagem "Tie-Break" / "Rally Point" essa função prepondera, a tal ponto que vence a dupla que erra menos na cadeia recepção-levantamento-ataque. Na minha opinião os jogadores devem treiná-la mentalizando os momentos decisivos de um jogo onde o erro é punido, quase sempre, com a perda do mesmo.

De um modo geral a recepção - local em que a bola é levantada após a recepção - dita o tipo de ataque e pode ser:

- recepção imperfeita do saque;

- recepção perfeita do saque.

 

- Recepção Imperfeita do Saque.

Considera-se recepção imperfeita aquela em que a bola é passada distante da zona de levantamento. Pela dificuldade que o levantador pode ter, os ataques são os a seguir descritos.

- De Bola Alta.

É o levantamento possível quando a recepção é imperfeita. Em técnica individual (Técnica Individual - Vôlei de Praia), apresento uma série de procedimentos de levantadores e atacantes - além dos que se seguirão, tendo em vista um eficiente aproveitamento no ataque das bolas altas.

- Procedimento do Jogador-Levantador.

Na maioria da ocasiões, o levantador tem que se deslocar com máxima velocidade a fim de executar o levantamento por meio de um toque acima da cabeça (fundamento com que obtém maior precisão). Na maioria das vezes não é possível e o levantamento é feito por manchete. Após sua ação o jogador que levanta deve:

- sugerir ("cantar") a melhor opção direção do ataque para o companheiro; na paralela, na diagonal;

- deslocar-se, imediatamente, para o ponto do ataque, para fazer a cobertura do mesmo.

 

- Procedimento do Jogador-Cortador.

- Após a recepção, desloca-se o mais rapidamente possível para o local em que faz a última aproximação para o ataque e espera o levantamento (a bola sair das mãos do levantador).

 

Nota

- Nas bolas levantadas da metade da quadra para trás, o atacante deve aguardar o levantamento posicionado, aproximadamente, na mesma linha do levantador, esperar a bola ser alçada e só, então, iniciar sua aproximação para o ataque. Este procedimento propicia o ângulo para a passagem da bola, isto é, a bola no momento do levantamento encontra-se entre o atacante e a rede.

Observe no diag 1. JA (jogador que recepciona e ataca) no ponto em que realiza a recepção (no caso, a recepção é imperfeita). Faz o deslocamento até o ponto em que inicia sua aproximação (PA), na mesma linha (horizontal) do ponto em que o levantamento é executado (PL). Alçada a bola, faz a aproximação final para o ataque.

No diag. 2, um exemplo da não observância deste procedimento. O atacante (JA) sai antes para o ponto de aproximação (PA) em que a faz em uma recepção perfeita. Resulta em três aspectos complicadores:

1 - o atacante recebe a bola vinda de suas costas;

2 - o ângulo para a passagem fica bastante reduzido;

3 - durante a aproximação JA tem que ficar olhando a bola e, por conseguinte, não tem uma boa visão da quadra oposta.

 

No diag. 3, apresento um ponto de levantamento (PA) mais complicado ainda, ou seja, a bola é recepcionada para frente, à esquerda do ponto de recepção (JA). O levantamento é executado no ponto de levantamento (PL). Neste caso, o atacante tem duas opções táticas: desloca-se normalmente para atacar na extremidade da rede (seta tracejada em azul). Como muitas vezes não há tempo para isso, o atacante recepciona e faz a aproximação em linha reta à direita do PL. No caso, o levantador faz o levantamento de costas para o terço central da rede.

 

 

 

- Se o levantador conseguir alçar a bola no local combinado, a aproximação para o ataque é normal (as duas últimas passadas, como sempre, devem ser longas e rápidas).

- No caso de a bola ser levantada curta ou passada (em relação a linha perpendicular em que o atacante se aproxima), a aproximação tem que ser com velocidade máxima e na direção do local em que a bola ainda está alta e propícia ao ataque. No diagrama a seguir, está demonstrada a aproximação do atacante partindo do ponto de aproximação (PA) diante de uma levantada em que a bola é curta. Ao invés de atacar na extremidade da rede, desloca-se em direção à bola.

 

 

 

Na circuntância mencionada nos diagramas anteriores, é necesssário observar mais um procedimento. JA tem que se deslocar tendo em vista se posicionar rigorosamente sob a bola. Isto é no momento do golpe a mesma deve estar no prolongamento de seu eixo longitudinal. De modo poder atacar por meio de todos os golpes e em todas as direções da quadra oposta.

Na fig. 1, uma representação gráfica para ilustrar o procedimento. A linha vertical tracejada simboliza o prolongamento do eixo do atacante, ou seja, sua coluna vertebral e cabeça. No momento do golpe, repito, a bola deve estar rigorosamente no prolongamento do mesmo.

 

 

Na figura a seguir, as bolas das extremidades significam ponto em que a mesma dificulta/facilita ataques para determindas direções.

Ataque na Entrada da Rede:

- na da esquerda, o atante encontrará maior facilidade para o ataque na paralela, e maior dificuldade para o ataque na diagonal;

- Na da direita, maior facilidade para a diagonal, e maior dificuldade para a paralela.

 

Ataque na Saída da Rede:

- na da esquerda, maior facilidade para o ataque na diagonal, e maior dificuldade para a paralela;

- na da direita, maior facilidade para a paralela, e maior dificuldade para a diagonal.

 

Nota

Com os jogadores que atacam com o braço esquerdo verifica-se o contrário.

 

 

 

 

Nota

 

- É fundamental que o atacante, antes de iniciar sua aproximação final para o ataque, espere a bola sair das mãos do levantador, pois ela também pode ser levantada fora da rede, o que aumenta ainda mais a dificuldade do atacante de realizar uma finalização bem sucedida.

- Na bola levantada fora da rede, o atacante deve considerar que em sua cortada a bola deve passar mais alta sobre o bordo superior da rede e ser dirigida para o fundo da quadra. A bola cortada rentemente favorece ao bloqueio.

 

Continuação no artigo 27, com o ataque após a Recepção Perfeita.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra