Técnica Individual - Art. 19

- Toque de Bola Acima da Cabeça, para o Levantamento e para a Defesa.

- Treinamento do Toque

- Para a Defesa.

- Exercícios para Aprendizagem e Aperfeiçoamento.

 

- Sequência de Exercícios no 12.

 

- Objetivos: - consolidação da técnica de amortecimento do impacto da bola;
  - aprendizagem/aperfeiçoamento da manobra "Reco-Reco”;
  - defesa tendo em vista à transição do sistema defensivo para o ofensivo.

 

O “Reco-Reco” é uma manobra tática executada por todas as equipes, e em todos os níveis de competitividade. Consiste no seguinte.

O jogagor-bloqueador (JB), no seu posicionamento para o bloqueio, percebe que a bola foi imperfeitamente levantada e que o atacante adversário não pode atacar com grande potência. Ele recua com velocidade máxima a fim de adotar seu posicionamento defensivo. Quando consegue, ótimo. Quando não consegue, tem que executar a defesa deslocando-se para trás.

O toque Acima da Cabeça é um dos fundamentos utilizados para a defesa na manobra “Reco-Reco”; o outro a Manchete.

 

Nota

 

A execução do toque, no caso, é avaliada pelo árbitro. Quando a bola é atacada com grande potência o jogador pode tocá-la ainda que incorretamente. Quando a potência não é forte o toque tem que ser absolutamente correto.

 

129 – O treinador/colaborador, sobre uma plataforma, do lado oposto da rede, alça a bola, cerca de 1 m sobre sua própria cabeça, e ataca sem muita potência de modo que a trajetória da bola seja curva, acima da cabeça do jogador-bloqueador (JB). Este, que está se deslocando para seu posicionamento defensivo, executa a defesa por meio do toque para o alto e um segundo toque para a zona de levantamento.

130 – Idem ex. 129, com o ataque com as mesmas características, entre JB e a linha lateral da quadra (setas tracejadas em verde).

131 – Idem ex. 130, com o ataque entre JB e a linha (tracejada em vermelho) que divide a quadra em duas metades (setas tracejadas em azul).

No diagrama a seguir, elementos que compõem a quadra na organização dos exercícios.

 

 

 

 

132 – Mesma mecânica dos exercícios anteriores. Agora o ataque reto na direção do corpo do jogador, com potência máxima ou compatível com a capacidade de cada atleta. JB, executa a defesa com o toque, enviando a bola para a zona de levantamento.

133 – Idem ex. 132, com o ataque entre JB e a linha lateral da quadra.

134 – Idem ex. 132, com o ataque entre JB e a linha que divide a quadra em duas metades.

135 – Mesma mecânica. O ataque sem muita potência, de maneira que a trajetória da bola descreva uma linha curva, simulando o ataque do tipo 'Lob". Inciaicalmente reta, na direção do corpo de JB.

136 - Idem 135, agora ente alinha lateral e JB.

137 - Idem 135, agora entre JB e a linha que divide a quadra em duas metades.

138 – A mesma dinâmica dos exercícios anteriores. Agora, alternado o ataque com potência máxima, simulando a cortada potente e o ataque com curva, simulando o "Lob". Também: reto; entre JB e a linha lateral; ou entre JB e a linha que divide a quadra em duas metades.

Na figura a seguir, representação gráfica com os dos dois tipos de trajetória. Ponto de Ataque (PA) com ataque potente para PC; Ponto de Ataque (PA) ataque com curva para PB.

 

 

 


 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 – “Os primeiros exercícios da sequência têm em vista a aprendizagem da manobra "Reco-Reco” com a defesa por meio do toque acima da cabeça. A potência dos ataques, desferidos pelo treinador/colaborador, devem ser compatíveis com a capacidade de cada atleta. Enquanto a manobra não for aprendida não adianta imprimir muita potência.

2 – O treinador deve estar atendo ao ponto em que o atleta toca na bola. Deve ser a frente da linha da cabeça e, no máximo, sobre a mesma. Nunca além destes pontos. O apoio que proporcionam as pernas, o tronco e os braços, fica inviabilizado.

Na figura a seguir os pontos em que a bola deve ser tocada.

 



Desenho de Eduardo Rodrigues

 

3 – A manobra tem que ser realizada nas duas metades da quadra (entrada e saída da rede). Nos ataques entre o jogador-bloqueador e as linhas laterais e/ou entre o mesmo e a linha que divide a quadra em duas metades, o atleta tem perceber a intenção do atacante e, na medida do possível, cambar mais para um flanco ou outro, a fim de se posicionar de frente para a trajetória da bola.

4 – É extremamente importante que o atleta se exercite a manobra deslocando de frente para as linhas laterais e/ou para a linha que divide a quadra em duas metades. Muitos atletas só conseguem deslocar com o corpo voltado para a direita ou para a esquerda. No meu modo de ver, isso não é bom; acarreta em fator limitante.

5 – Atletas de alto nível deslocam-se de diferentes maneiras. Muitas vezes, porque não exercitaram de todas as maneiras. Ou, se sentem melhor com uma maneira ou outra. Contudo, existem alguns itens que devem ser considerados. Por exemplo.

a) – A Maneira como se posicionar para o bloqueio

b) – O tipo de passada para a saída do posicionamento de bloqueio.

c) – A importância da movimentação dos braços durante o deslocamento;

d) – A decisão tática de deslocar e parar executar a defesa ou executá-la em pleno deslocamento.

 

 

Continuação no art. 20, com outra Sequência de Exercícios

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas DO Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia