Técnica Individual - Art. 17

- Manchete, para a Recepção do Saque, para o Levantamento e para a Defesa.

- Exercícios para a Aprendizagem e para o Aperfeiçoamento.

 

Nas sequências de exercícios apresentadas até o artigo 16, como tem sido bastante enfatizado, objetivou proporcionar oportunidade da prática exaustiva da manchete, de todos tipos e de todas as maneiras e, acima de tudo, em diversas circunstâncias. Os exercícios estão baseados em simulações de circunstâncias que ocorrem no jogo. No momento em que o atleta tiver a capacidade de executar tudo aquilo que os exercícios propõem, certamente, estará apto para enfrentar, com autoconfiança, muitas das situações de jogo.

Neste artigo e nos que se seguirão o objetivo a ser alcançado com os exercícios é o de praticar a técnica de amortecimento do impacto da bola, habilidade indispensável para um bom defensor, utilizada para a recepção de saque e para a defesa de ataques por meio de cortada fortes.

 

- Sequência de Exercícios No. 10

 

109 - O treinador - com os pés no chão - nas proximidades da rede, atacando as bolas, com golpes de pouca potência a cerca 6 metros do jogador que está defendendo. Na medida em que os jogadores forem assimilando a técnica, a potência vai sendo aumentada. O defensor, na postura de defesa, coloca os dois braços bem a frente do corpo e semiflexionados. No exato momento da execução da manchete - amortecimento - eleva os dois cotovelos. O amortecimento resulta do descenso dos antebraços no exato momento em que a bola bate.

Na figura a seguir, da direita para esquerda, o defensor com o braço semi-flexionado e com os mesmos estendidos. No momento do impacto da bola, os cotovelos elevam-se e, automaticamente, os ante-braços abaixam-se. Importante enfatizar que isso não ocorrerá se os braços estiverem muito próximos do tronco.

 

Desenho de Eduardo Rodrigues

 

110 - Idem 109, com o ataque a cerca de 1 metro à direita/à esquerda, do ponto em que o defensor está posicionado. Este, move-se rapidamente, coloca o corpo de ferente da bola e executa a defesa.

111 - Idem 109, com o ataque cerca de 1 metro à frente do defensor. Este, move-se para frente e executa a defesa.

 

Nota

Neste exercício o jogador, muitas vezes, é obrigado a fazer a defesa com um dos joelhos no chão. Nesta circunstância, um procedimento essencial é o de manter o afastamento dos braços, em relação ao tronco durante o flexionamento das pernas. Na foto a seguir, um exemplo de Nalbert, da Seleção Brasileira, executando uma manchete com um dos joelhos no chão.

 

 

112 - Idem 109, com o ataque na altura dos ombros, à direita/à esquerda, do defensor. No caso, é necessário que a manchete - o amortecimento - seja realizada após o salto com uma das pernas.

113 - Agora, o Treinador sobre uma plataforma nas proximidades da rede (alternando numa e outra extremidade da rede), da quadra onde os jogadores defendem. Ataca as bolas no corpo do jogador.

No diagrama a seguir, o posicionamento em que devem ficar as plataformas (retângulos laranjas), de onde o treinador vai atacar as bolas. A linha perpendicular, tracejada em cinza, no centro da quadra, limita a área em que a bola deve permanecer após a defesa.

 

 

 

 

114 - Idem 113, com o ataque à direita/à esquerda. O defensor faz a defesa após pequeno deslocamento lateral.

115 - Idem 113, com o ataque a cerca de 1 metro a frente do defensor.

116 - Idem 113, com o ataque na altura do ombro do defensor, que faz a defesa após um salto com uma das pernas.

 

117 - Agora com o Treinador sobre uma plataforma do lado oposto ao que o defensor está executando o exercício. Ataca as bolas no corpo do jogador.

 

 

118 - Idem 117, com o ataque à direita/à esquerda. O defensor faz a defesa após pequeno deslocamento lateral.

119 - Idem 117, com o ataque a cerca de 1 metro a frente do defensor.

120 - Idem 117, com o ataque na altura do ombro do defensor, que faz a defesa após um salto com uma das pernas.

 

Notas

- O treinador deve realizar os exercícios atacando dos três pontos da rede; na entrada, na saída e no centro da rede. Também, com os jogadores nos posicionamentos mais comuns de defesa.

- O treinador, já preparando seus jogadores para atribuições táticas, deve delimitar o ponto em que a bola deve permanecer após a defesa. Ou seja, entre o ponto em que a defesa é realizada e o centro da rede. No diagrama a seguir, o exemplo. O ponto da rede em que o treinador está atacando (retângulo laranja), a direção da bola (seta tracejada em laranja) e o ponto da quadra em que o jogador está praticando o exercício. A duas linhas tracejada (em azul claro) delimitam a área em que a bola deve permanecer após o amortecimento do impacto da bola.

 

 

 

 

121 - O treinador atacando as bolas no corpo do jogador, sobre uma plataforma do lado oposto ao que o defensor está executando o exercício. Agora, com o ataque de acordo com a vontade do treinador. Ou seja, no corpo, à direita/á esquerda, à frente e na altura dos ombros. O defensor move-se, de acordo com a direção da bola, e realiza o amortecimento da bola.

122 - O treinador atacando as bolas no corpo do jogador, sobre uma plataforma do lado oposto ao que o defensor está executando o exercício. Agora ele utilizará um tipo de ataque diferente. Coloca a bola sobre a mão espalmada, na altura do ombro. Move a bola para à direita e/ou à esquerda, com movimento curto e rápido e a ataca (o braço já fica acima da cabeça). O jogador que está praticando se move (não tem muito tempo) de acordo com direção que o treinador indicou, de maneira ficar com o corpo de frente para bola, e realiza o amortecimento da bola.

 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 - O amortecimento do impacto da bola resulta de uma técnica de difícil execução. O jogador tem que concatenar a chegada da bola em diferentes velocidades, com o movimento do corpo por ocasião da manchete. Aspecto da maior importância é o afastamento dos braços, em relação ao tórax e o movimento de elevação dos cotovelos e o descenso dos antebraços. De modo geral esta técnica tem que ser realmente aprendida. A velocidade da bola, atacada pelo treinador, tem que ser proporcional à capacidade de cada jogador. De nada adianta imprimir grande velocidade à bola se o jogador não tem capacidade para amortecê-la. Muito provavelmente os erros prevalecerão e, com isso, o aproveitamento para com o treinamento, talvez, não seja o pretendido.

2 - Os jogadores encontram muita dificuldade de executar o amortecimento nas bola atacadas na altura dos ombros. É indispensável dominar a técnica da manchete com o corpo em suspensão. De modo geral o jogadores não conseguem coordenar o salto com uma das pernas, a elevação do joelho e do ombro, e a virada dos antebraços. Por exemplo, quando o salto for dado com a perna direita, o atleta tem que alçar todo o flanco esquerdo do corpo. E tudo isso com a chegada da bola. Enfim, é altamente aconselhável gastar um tempo na aprendizagem da técnica, para que não haja comprometimento no aproveitamento dos exercícios desta sequência.

Na foto a seguir, um exemplo com Arlene, ex-líbero da Seleção Brasileira, defendendo uma bola por meio de uma manchete com o corpo em suspensão. Repare ela saltou com aperna direita e que todo o seu flanco esquerdo está mais elevado do que o direito.

 

 

 

3 - É muito importante a postura fundamental do defensor. É muito comum o atleta adotar uma postura semelhantes a dos goleiros do futebol, isto é, com as pernas excessivamente afastadas, tronco erecto e braços abertos. A postura ideal é, sobretudo, com o tronco semiflexionado, em em relação a bacia e os braços exageradamente à frente. Primeiro, para facilitar os deslocamentos curtos. Depois, para evitar que os braços fiquem muito próximos do tronco e, por causa disso, a técnica do amortecimento se torne inexequível.

4 - Os ataque desferidos pelo Treinador/Colaborador devem ser rápidos. De maneira estimular:

A - A velocidade de reação, ou seja, os atletas devem praticar, de modo sistemático, o estímulo da bola chegando em sua direção, em diferentes velocidades e direções. Com a continuidade essa propriedade (velocidade de reação) é melhorada significativamente.

B - A velocidade de deslocamento. Na realidade o atleta não se desloca nesse tipo de prática, move-se. O ataques são ligeiramente à direita/à esquerda/ à frente/no alto/etc. Logo, o tempo é apenas para mover-se a fim se posicionar à frente da bola.

C - A velocidade de movimentos. O Treinador/Colaborador imprime diferentes velocidades, direções e alturas às trajetórias da bola. Ou seja, o atleta tem que percebe-las e, diante delas, mover-se, a fim de se posicionar adequadamente, e executar movimentos do corpo com velocidade máxima.

Cont. no arquivo 18, com outra Sequência de Exercícios

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas DO Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia