Técnica Individual - Art. 07

 

- Manchete para a Defesa.

 

A manchete é fundamento indispensável na defesa. É utilizada em situações de jogo simples e muito complexas. É executada das mais variadas maneiras.

Nos artigos anteriores, abordamos a manchete para a recepção do saque e para o levantamento. Neles foi apresentada uma série de detalhes tendo em vista, obviamente, sua correta execução.

Na defesa, uma componente importante: a velocidade da trajetória da bola. O jogador-defensor (JD) tem que executá-la levando em consideração aspectos táticos e técnicos individuais.

 

- Tipos e Maneiras de Execução.

 

- Com os Pés no Chão:

- de frente;

 

- de costas;

 

- lateral.

 

- Com Corpo em Suspensão:

- de frente;

 

- de costas;

 

- lateral.

 

Nota

A manchete com o corpo em suspensão é utilizada com pouca frequência. Todavia, é recurso bastante útil em diversas situações de jogo como veremos adiante.

 

- Manchete em Mergulho (“Peixinho”).

- Manchete com Rolamento.

 

Nota

A execução passo a passo foi apresentada nos artigos anteriores. Não existem grandes diferenças entre as maneiras de execução da manchete para a defesa em relação às para a recepção do saque e para o levantamento. A velocidade e a diversidade das trajetórias das bolas são componentes a serem consideradas. Para isso, vamos dividí-los em três itens:

1 - Táticos Individuais;

2 - Físicos;

3 - Técnicos Individuais.

A seguir, pela ordem (do ataque para a defesa), itens de máxima importância, que contribuem para o aperfeiçoamento e, consequentemente, boa performance do jogador-defensor (JD).

 


 

1 - Táticos Individuais - Discernimento Tático Individual.

 

Partamos de um raciocínio: qual o melhor posicionamento do jogador para a defesa? Resposta simples: atrás da bola! Outrto: de que adianta o jogador possuir excelente técnica individual se a bola encontra-se fora de seu raio de ação? Logo, posicionar-se corretamente depende da capacidade que o jogador deve ter para considerar vários elementos e identificar rapidamente:

- a intenção e as características do atacante adversário;

- a provável direção e a velocidade da trajetória da bola;

- etc.

E, por conseguinte, posicionar-se adequadamente. É capacidade fundamental para um bom defensor. Nos artigos sobre as Estratégias/Táticas - Defensivas esses elementos são apresentados com máximo detalhamento. Neste e nos artigos que se seguirão, vamos nos ater apenas a técnica individual.

 


 

2 - Físicos - Valências Físicas Indispensáveis.

 

- Velocidade de Deslocamento.

Uma vez percebido o provável ponto do ataque, a intenção e as características do atacante adversário, a próxima qualidade requerida é a velocidade para se posicionar adequadamente para fazer a defesa. Para isso, é preciso fazer deslocamentos. Podem ser de três tipos:

- pequenos ajustes, o ataque no espaço em que o defensor está posicionado;

- curtos, entre um e três metros;

- longos; mais de três metros.

 

- Velocidade de Reação.

A velocidade da trajetória da bola atacada depende do tipo de golpe. No vôlei de praia é variada. Por exemplo, é mais lenta quando "largada" e/ou proveniente de um "lob". Muito ou extremamente rápida por ocasião dos ataques por cortada. O JD tem que possuir a capacidade de reagir ao estímulo de uma bola vindo em sua direção no menor tempo possível. Quanto mais rápida for essa reação, maiores serão as chances de sucesso.

 

Nota

A velocidade de reação resulta de processamento cerebral, percepção-reação a um estímulo. É faculdade inata. Contudo, pode ser melhorada com o treinamento.

 

- Velocidade de Movimentos.

As trajetórias das bolas sofrem alterações em seus percursos. Muitas vezes o jogador-defensor (JD) está preparado para executar um tipo de intervenção. Com uma manchete normal, por exemplo. A trajetória muda subitamente e ele é obrigado a fazer uma manchete invertida, ou executar um megulho, etc. A velocidade com a qual realiza essa mudança é fundamental para eficiência de um defensor.

 


 

3 – Situações de Jogo que a Manchete se Aplica e Procedimentos Técnicos Individuais.

 

- Postura Fundamental para a Defesa.

JD, deve adotar uma postura intermediária, isto é, propicia à defesa por meio do toque acima da cabeça e/ou por meio da manchete. Uma vez bem posicionado, não sabe, com exatidão, que trajetória a bola tomará. Ou seja, pode ser: alta, no corpo, mais abaixo, mais à direita, mais à esquerda, mais à frente, etc. Sendo assim, a postura deve ser propicia a dar início a deslocamentos, isto é, com o tronco semi-flexionado e as pernas soltas.

Na figura a seguir, o exemplo. O jogador está numa postura cômoda. Uma perna na frente da outra e ligeiramente flexionadas. O tronco também ligeiramente flexionado em relação à bacia. Os braços num posicionamento intermediário (linha horizontal, tracejada em vermelho). Repare três trajetórias da bola. De acordo com cada qual, ele os eleva ou os abaixa com a mesma facilidade.

 

 

 

 

- Posicionamento para a Defesa.

De modo geral o posicionamento para a defesa é tomado de acordo com o procedimento do jogador-bloqueador (JB). Do posicionamento inicial ele se desloca:

- para os lados;

- para as diagonais;

- para frente:

- para trás.

No diagrama a seguir, um exemplo com um ataque na saída da rede da quadra oposta. O posicionamento do bloqueio (retângulo em laranja), principal ponto de referência para JD adotar seu posicionamento inicial (PI). O círculo, em azul, é um espaço no qual ele faz pequenos ajustes e/ou deslocamentos curtos, em relação ao PI. As linhas tracejadas, em vermelho, significam deslocamentos longos que, de modo geral, são feitos para a defesa de bolas atacadas com menor potência e/ou “largadas”.

 

 

 

 

O posicionamento defensivo apropriado depende do discernimento tático individual, capacidade indispensável para o defensor. Mal posicionando pouco adianta qualquer qualidade técnica individual.

 

- Amortecimento do Impacto da Bola  - Manchete de Frente;
  - Manchete Lateral.

     
                                                               

O ataque por meio da cortada com potência máxima é a primeira opção, na maioria das vezes, de todo atacante. A trajetória da bola é extremamente rápida. É a pior das hipóteses para JD. Requer apurada técnica para controlar a bola. Isto é, JD tem que executar a manchete com movimento para amortecer o impacto da bola, de maneira que a mesma fique na própria quadra, propicia à continuidade do jogo, ou seja, ao levantamento.

Na figura a seguir, uma tentativa de exemplificar a técnica. O posicionamento dos braços (em azul mais claro) em momento que antecede a defesa. No momento da execução, o defensor alça os cotovelos. Automaticamente, os ante-braços se abaixam. Este movimento realizado no tempo certo amortece o impacto da bola.

 

 

 

Na foto a seguir, o produto final. O atleta cubano momento após a execução da defesa (amortecimento) de uma bola atacada por meio de cortada. Repare que a bola está saindo de seus braços que estão rigorosamente estendidos.

 

 

 

Nota

A técnica para o amortecimento das bolas mais à direita e/ou mais à esquerda – manchete lateral – é o mesmo; com diferenças providenciais:

- o tronco tem que realizar o movimento de rotação, em relação à bacia, de maneira que os braços possam se movimentar e se posicionar á direita e/ou à esquerda do corpo;

- os braços têm que efetuar o movimento de pronação, de maneira oferecer maior superfície, dos mesmos, para o encaixe da bola.

 

- Defesa Após Deslocamentos Longos - Manchete com os Pés no Chão, de Costas
  - Manchete com o Corpo em Suspensão, de Costas
  - Manchete em Mergulho.
  - Manchete e Rolamento

 

Os deslocamentos longos com velocidade máxima são necessários para a defesa de bolas atacada em locais distantes do ponto que JD está posicionado. Depois, outros tipos e maneiras de execução da manchete; a execução das mesmas foram focalizadas nos artigos da manchete para a recepção do saque e para o levantamento.

 

- Manchete com os Pés no Chão, de Costas.

É utilizada para a defesa de bolas atacadas por meio de “lob”, no terço final da quadra. JD desloca e, como não tem possibilidade de girar seu próprio corpo, executa a manchete de costas (fig. a seguir).

 

 

 

- Manchete com o Corpo em Suspensão, de Costas em bolas colocadas no fundo da quadra.

É utilizada, na maioria das vezes, como um recurso. Muitas vezes o defensor está se deslocando para determinado ponto da quadra e é surpreendido pela mudança de direção da bola. Por exemplo, uma bola que bate no bloqueio que é tocada por um companheiro, etc. Nestes casos, ele gira e salta, com uma das pernas, e executa a manchete com o corpo em suspensão; geralmente em bolas que já estão passando para fora de seu raio de ação.

 

 

 

- Manchete em Mergulho (“peixinho”), após quaisquer deslocamentos.

É largamente utilizada na defesa de bolas atacadas ou colocadas distantes do local em que o jogador está poicionado. É um pré-requisito para um bom defensor.

A execução verifica-se da seguinte maneira:

- partindo para a defesa como que para executar uma manchete normal;

- ao ver a bola atacada ou colocada distante, o jogador dá uma ou mais passadas e mergulha tomando impulso em uma das pernas;

- faz a intervenção com uma manchete e aterrissa, amortecendo o impacto do corpo no chão com as mãos e braços (fig. a seguir).

 

Desenho de Eduardo Rodrigues

 

 

Nota

O treinador deve coibir o abuso na utiliação desta técnica. Muitas bolas que podem ser defendidas com uma simples manchete, muitas vezes são desperdiçadas porque o jogador opta pelo mergulho - indiscutivelmente muito mais espetacular.

 

- Manchete com Rolamento, após quaisquer deslocamentos.

É usada na defesa em bolas à direita ou à esquerda do corpo, de tal maneira distantes que apenas uma manchete lateral não é suficiente para alcançá-las. O jogador desloca-se com uma ou mais passadas laterais para depois executar a manchete.

Sua execução é a seguinte:

- deslocamento lateral até um "a fundo lateral";

- executa a manchete lateral;

- após a mesma, realiza um rolamento.

Na figura a seguir, da direita para a esquerda, e execução, passo a passo, da manchete com rolamento. a seguir.

 

Desenho de Eduardo Rodrigues

 

Nota

O execução do rolamento, após a manchete, é importante por ser uma espécie de "acabamento". Muitas vezes, o jogador defende a bola e trava o movimento do corpo em queda. Em virtude disso, não consegue controlar a mesma. Com o rolamento o jogador evita esta quebra na harmonia do movimento do corpo em queda. No caso, a probabilidade de sucesso na intervenção torna-se muito maior.

 

Continuação no artigo 08 com Exercícios para a Aprendizagem o o Aperfeiçoamento da Manchete

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas DO Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia