Técnica Individual - Art. 01

- Bloqueio

- Fundamento

 

- Situações de Jogo.

É a ação de interceptar a bola vinda do campo adversário (exceto o saque) estendendo-se os braços e as mãos espalmadas acima do bordo superior da rede. O bloqueio ocorre efetivamente quando a bola toca no bloqueador.

No Vôlei de Praia, diferentemente do vôlei de quadra, o toque no bloqueio é valido, isto é, após o mesmo são permitidos apenas mais dois toques.

O bloqueio é um imperativo. Os atacantes, por meio da cortada, imprimem grande velocidade às bolas que, sem bloqueio, tornam a tarefa da defesa praticamente impossível.

Com o bloqueio, há inúmeras alternativas e todo um sistema defensivo a ser elaborado. Ele é a primeira tentativa de interceptação do ataque adversário - ou minimização dos seus efeitos - e constitui-se ainda no principal ponto de referência do sistema defensivo.

 

- O Fundamento.

 

O bloqueio - como Fundamento da Técnica Individual - não difere em nada do que é realizado no voleibol de quadra. Sua execução perfeita é fator fundamental. Até o complemento da execução, alguns fatores são igualmente importantes. Todos serão abordados, com máximo detalhamento, ao longo da apresentação do assunto. Vamos raciocinar: será que adianta alguma coisa deslocar rápido, saltar bem, ter uma boa percepção de tempo, etc, e não executar corretamente o fundamento? Da mesma forma, será que adianta ter um bom fundamento e não ter as qualidades físicas indispensáveis, uma boa percepção, etc?

O aspecto mais importante, na minha opinião, é compreensão de que a ação final resulta de todos os fatores. Resumindo: é muito pouco provável um bloqueador ser eficiente sem possuir todas as qualidades requeridas; sobretudo, se não possuir a correta técnica individual - o fundamento propriamente dito.

 

- Decomposição da Execução do Fundamento.

 

- Posicionamento de Expectativa.

O jogador bloqueador (JB) desloca-se para o ponto da rede de modo que fique de frente para o jogador que recepciona o saque. Espera a definição do levantamento e o ponto da rede em que a bola vai ser atacada.

 

  - Apropriada para - realmente - saltar para o bloqueio.
- Postura de Expectativa do Corpo:  
  - Apropriada para a saída do posicionamento de bloqueio para o de defesa - a manobra "Reco-Reco".

 

Após o levantamento, o JB aguarda o momento de saltar para o bloqueio com uma postura de expectativa do corpo (PEC). Uma peculiaridade do Vôlei de Praia é que admite dois tipos de (PEC), a saber.

- Apropriada para - realmente - saltar para o bloqueio.

Mais utilizada no voleibol masculino, em virtude dos atacantes - em sua grande maioria - utilizarem a cortada forte como meio de ataque. A Postura de Expectativa do Corpo, para esta opção é a seguinte:

- de pé, com as duas pernas estendidas e com afastamento equivalente a largura dos ombros (boa base);

- o tronco é reto e a cabeça erguida, olhando fixamente para a aproximação do atacante;

- braços da maneira mais confortável possível.

Na figura a seguir, está demonstrada a Postura de Expectativa. É bem natural. O aspecto mais importante é a observação, pelo bloqueador, da movimentação do atacante; desde o momento em faz a recepção do saque. Ou seja, ele faz a recepção, a primeira aproximação (do ponto em que recepciona ao ponto em que faz a última aproximação) e a aproximação final (as duas últimas passadas antes do salto para o ataque). Neste último movimento o bloqueador tem que estar ri-go-ro-sa-men-te à frente do cortador.

 

 

 

- Apropriada para a saída do posicionamento do bloqueio para o de defesa - a manobra "Reco-Reco".

Mais utilizada no voleibol feminino, uma vez que, existe um percentual muito maior de "largadas". As jogadoras aventam sempre a possibilidade da saída do posicionamento de bloqueio para o de defesa - o "Reco-Reco". A PEC é a seguinte:

- de pé, com o corpo posicionado perpendicularmente, em ralação à rede, com as duas pernas estendidas, uma na frente da outra, e com afastamento, também equivalente à largura dos ombros (boa base);

- o tronco é reto e a cabeça erguida, olhando fixamente para a aproximação do atacante;

- um dos braços estendidos, quase que tocando o bordo inferior da rede, e o outro bem à vontade; o braço estendido serve como medida.

Quando o jogador opta por sair do bloqueio para o posicionamento defensivo, a primeira passada é realizada da seguinte maneira: fixa a perna que está atrás - como a ponta de um compasso - e gira com a que está na frente. As demais passadas são dadas de costas.

 

Notas

 

- Tanto homens quanto mulheres utilizam-se, regular ou esporadicamente, das duas opções. O que pode determinar uma outra opção é a estratégia defensiva. Da mesma maneira, há o caso de jogadores que só utilizam uma das duas, de modo geral, por característica individual.

- O aspecto mais importante é, no momento do salto, estar rigorosamente de frente para o atacante.

 


 

- O Salto.

O JB realiza, de maneira coordenada e com velocidade máxima, os seguintes movimentos:

- extensão dos pés;

- flexão e extensão das pernas, de maneira que o ângulo de coxas e pernas seja de aproximadamente 90 graus;

- movimento dos braços semelhante ao do que realiza para a cortada. O jogador traz os braços flexionados para trás da linha do tórax e os eleva com máxima velocidade.

A seguir apresento desenhos estilizados que servem para dar uma idéia da flexão, e o final da flexão das pernas.

 

 

                   

Desenhos de Eduardo Rodrigues

 

Nota

 

É comum ver atletas utilizarem a flexão máxima das pernas - praticamente sentam sobre os próprios calcanhares - ao invés de flexionarem até o ângulo aproximado de 90 graus. Não há necessidade. É uma questão de estilo. A musculatura responsável pela impulsão funciona em certo ângulo de flexão.

 


 

- O Movimento Final do Fundamento - Bloqueio.

No final da impulsão o jogador realiza o bloqueio, que é executado da seguinte maneira:

- o corpo fica distante da rede, mais ou menos, 20 cm.

- braços absolutamente estendidos sobre o bordo superior da rede, formando com este um ângulo de, aproximadamente, 130 graus;

- mãos com afastamento, entre os polegares, de cerca de 10 centímetros - de maneira que não seja possível a passagem de uma bola;

- cabeça erguida de maneira que seja possível olhar fixamente para o "campo de ataque", isto é o jogador e a bola.

No desenho a seguir, o momento final da execução do fundamento - bloqueio.

 

Desenho de Eduardo Rodrigues

 

Nota

 

No "ponto morto da impulsão" toda a musculatura do corpo deve estar contraída, com ênfase para os glúteos, abdominais, dorso-lombares, ombros, braços e mãos. Contribui para a manutenção do equilíbrio do corpo no ar.

 

Cont. no art. 02, com Tipos de Bloqueio

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia