Técnica Individual - Art. 16

- BLOQUEIO.

 

- Exercícios para Aprendizagem e Aperfeiçoamento.

 

- Sequência de Exercícios no 07.

 

- Objetivos: - tempo de bloqueio;
  - percepção de direção do ataque;
 

- familiarização com pontos de referência;

  - desempenho de funções que precedem o bloqueio.

 

No artigo anterior ( 15) foi focalizada a Técnica Individual no Bloqueio para o Único Bloqueador; duplas que adotam o sistema de Único Bloqueador / Único Defensor. No caso, o bloqueador tem que desempenhar todas as funções e responsabilizar-se pelo bloqueio. Abordamos o Bloqueador que Saca, se Desloca e Bloqueia. Neste, vamos apresentar exercícios para outra função: Recepcionar - Aproximar-se para o Ataque – Atacar – Bloquear.

Nos diagramas a seguir, a mecânica do exercício. Na quadra de baixo: o jogador-bloqueador (JB) no posicionamento para a recepção do saque; o deslocamento para o ataque; o posicionamento inicial para o bloqueio. Na quadra de cima: o posicionamento do jogador-atacante (J2 e J1); o posicionamento do jogador-levantador (JL); as aproximações possíveis para o ataque (setas tracejadas). Em ambas as quadras, o ponto em que o treinador participa do exercício (T com círculo verde).

 

 

 

 

 

64 – O treinador, no fundo da quadra oposta, dá um saque, sem qualquer grau de dificuldade. JB recepciona, aproxima-se para o ataque, ataca e, imediatamente, desloca-se para o posicionamento de bloqueio. No momento em que a bola toca o chão, o treinador alça uma bola na Zona de Levantamento (ZL). JL levanta em diferentes pontos da metade da rede em que JB está posicionado. JA ataca reto, sem se preocupar em desviar do bloqueio. JB, no bloqueio, deve fazer a marcação na bola (diag. 1).

65 – Idem 64, com JA atacando na paralela. JB deve obstruir a passagem da bola para a paralela.

66- Idem 64, com JA atacando para a diagonal. JB deve obstruir a passagem da bola para a diagonal.

67 – Idem 64, com JA mostrando, deliberadamente, o ponto para o qual atacará (reto, paralela ou diagonal). JB tem tentar perceber a intenção de JA e se posicionar para bloqueá-lo.

68 – Idem 67. JA atacando em qualquer direção. JB tem que identificar a direção do ataque e tentar bloqueá-lo.

69 – No momento em que o treinador considerar que seus atletas assimilaram a execução dos exercícios, pode realizar toda a ação duas, três ou quatro vezes consecutivas, sem intervalo. Importante não exceder o tempo de execução em cerca de 40 segundos; depois disso a tendência é a de que a execução seja comprometida, em virtude do cansaço.

70 – A mesma mecânica dos exercícios anteriores. Agora, JA posicionado na meia quadra correspondente à saída da rede, da quadra oposta (diag. 2). JB, na meia quadra correspondente à saída de rede, recepciona o saque, aproxima-se para o ataque, ataca, desloca-se para o posicionamento de bloqueio e aguarda o ataque de JA. O ataque é reto. A marcação no bloqueio é na bola.

71 – Idem 70, com o ataque de JA na paralela. JB faz a marcação no bloqueio para obstruir a paralela.

72 – Idem 70, com ataque de JA na diagonal. JB marca a diagonal.

71 – Idem 70, com JA indicando a direção do ataque (reto, paralela e diagonal). JB, olhando para JA, tenta identificar a direção do ataque para fazer o bloqueio.

72 – Idem 71, com JA atacando em qualquer direção. JB, olhando atentamente para JA, tenta identificar a direção do ataque para bloqueá-lo.

73 – No momento em que o treinador considerar que seus atletas assimilaram a execução dos exercícios e dependendo de suas capacidades físicas, pode realizar a ação toda duas, três ou quatro vezes consecutivas, sem intervalo. Importante não exceder o tempo de execução em cerca de 40 segundos; depois disso a tendência é a de que a execução seja comprometida.

 

Nota

Repetir a sequencia toda, com JB executando a recepção, a aproximação para o ataque na metade da rede correspondente à entrada da rede de sua própria quadra. JA atacando primeiramente em uma metade da quadra, depois na outra.

 

74 – O treinador executa o saque, como nos exercícios anteriores, sem dificuldade alguma. JB, como nos exercícios anteriores, recepciona, aproxima-se para o ataque e se desloca para o posicionamento de bloqueio, no centro da quadra. O ataque da dupla oponente, agora, pode ser tanto do centro para a entrada como do centro para a saída da rede; reto, sem evitar o bloqueio. O treinador, no fundo da quadra alça a bola, para o levantamento de JA1 ou JA2 e o ataque de um ou de outro. No caso, JB deve se deslocar para frente do que vai atacar e tentar bloqueá-lo. A marcação é na bola.

No diag. 3, na meia quadra de baixo, a disposição e deslocamentos de JB, para o ataque e para o posicionamento inicial do bloqueio. As setas cheias indicam sua movimentação para os dois lados. Na quadra de cima os deslocamentos de JA1 e JA2 para o ataque.

 

 

 

 

75 – Idem 74, com os ataques direcionados para a paralela. JB faz a marcação para obstruir a passagem da bola para a paralela.

76 – Idem 74, com os ataques para a diagonal. JB, obviamente, faz a marcação para obstruir a diagonal.

77 – Idem 74, com ambos os atacantes indicando, deliberadamente, a direção do ataque (reto, paralela o corredor). JB deve olhar fixamente para o atacante e tentar bloqueá-lo.

78 – Idem 77, com os atacantes direcionam a bola para qualquer ponto da quadra. JB, tenta identificar a direção, e se posiciona adequadamente para o bloqueio.

79 – Dependendo do condicionamento físico do atletas, o treinador pode realizar os exercícios anterior em séries; duas, três, quatro vezes consecutivas, sem intervalo.

 

Nota

Repetir a sequencia toda, com JB executando a recepção, a aproximação para o ataque na metade da rede correspondente à entrada da rede de sua própria quadra.

 

 

- Aspectos a serem observados durante a execução dos exercícios.

 

1 – A fim de garantir bom aproveitamento com os exercícios, é essencial que o Levantador e os Atacantes da dupla oponente possuam grande habilidade.

- Cabe ao Levantador:

- precisão;
- de modo algum, levantar bolas muito próximas da rede;
- variar as trajetórias, mais na extremidade, mais curta, mais no centro da rede.

- Cabe ao Atacante:

- não evitar o bloqueio, ou seja, direcionar seus ataques de acordo com a orientação do treinador, o jogador-bloqueador (JB) é que está praticando a parte principal do exercício;

- variar o tipo de ataque, isto é entremear cortada forte, meia-batida e “largada”.

- golpear a bola, sempre, no ponto mais alto possível.

 

2 – O jogador-bloqueador deve observar os Posicionamentos Iniciais de Bloqueio. Quando os exercícios são realizados em uma metade da quadra ele tem que se colocar rigorosamente no centro da mesma; quando na quadra toda, no centro da rede. Assim, fica equidistante a qualquer ponto do ataque. No momento em que o atacante inicia sua aproximação para o ataque aí, sim, é que deve se colocar à sua frente e o acompanhar olhando-o fixamente.

 

3 – O treinador deve exigir a observância de propriedades relacionadas ao bloqueio.

A – Correta execução do fundamento.

B – O Tempo de Bloqueio. A fim de diminuir a margem de erro nessa propriedade, o mais apropriado é evitar olhar só para a bola; melhor olhar para o atacante (reveja o artigo sobre).

C – Percepção de Direção, também é conseguida olhando-se para o atacante; e não para a bola.

D – Pontos de Referência, também é conseguida olhando-se para o atacante; e não para a bola.

 

4 – Quanto à orientação de realizar os exercícios em séries de duas, três, quatro vezes consecutivas, é necessário considerar:

- se os atletas assimilaram a correta execução dos exercícios;

- se possuem capacidade física para esforço tão intenso.

 

5 – Os atletas em treinamento e os atletas/colaboradores da dupla oponente devem permanecer absolutamente concentrados ao longo de toda a sessão; barulho, só as correções do treinador.

 

Continua no artigo 17 com outra Sequencia de Exercícios

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia