Técnica Individual - Art. 15

- Bloqueio

- Exercícios para Aprendizagem e Aperfeiçoamento.

- Sequência de Exercícios no 06.

 

- Objetivos: - tempo de bloqueio;
  - percepção de direção da trajetória da bola;
  - familiarização com o impacto da bola;
  - desempenho de funções que precedem o bloqueio.

 

Em antigos anteriores, em que foram abordados os fundamentos da técnica individual no bloqueio, existe o item que focaliza duplas que adotam o sistema de um Único Bloqueador e um Único Defensor. Ou seja, um dos jogadores só bloqueia e um dos jogadores só defende. No caso, o bloqueador tem que desempenhar todas as funções e responsabilizar-se pelo bloqueio, ou seja:

sacar-bloquear;

- recepcionar - aproximar-se para o ataque - atacar - bloquear;

- levantar - bloquear;

- defender - aproximar-se para o ataque - atacar - bloquear;

Isso tudo, seja em que lugar da quadra realizar a ação. É tarefa das mais árduas e, por isso, deve ser exaustivamente treinada.

50 - Prática da função sacar-bloquear. O treinador divide a quadra oposta em duas partes. Coloca, em uma das metades da quadra, o jogador-atacante posicionado para recepcionar e atacar e um jogador para fazer o papel do levantador. O bloqueador executa o saque - sem qualquer dificuldade - e corre para o seu posicionamento de bloqueio. Aguarda o ataque do adversário para bloquear. O atacante atacará só na paralela.

No diagrama a seguir, o exemplo da divisão da quadra, da disposição dos jogadores, das áreas em que o bloqueador atua e da movimentação do jogador que bloqueia.

 

 

 

51 - Idem 50, com o ataque só na diagonal.

52 - Idem 50, com o ataque livre, isto é, na paralela ou na diagonal, de acordo com a vontade do atacante.

53 - Idem 50, sem a divisão da quadra em duas metades. O saque é direcionado ao atacante (J1), que pode se deslocar e atacar em qualquer ponto da rede. O jogador-bloqueador deve se posicionar, inicialmente de frente para o J1 e, daí, acompanhar sua movimentação. De acordo com esta, deslocar-se-á paralela e lateralmente em relação à rede.

54 - Idem 53, com o saque direcionado no J2, que também pode atacar em qualquer ponto da rede.

No diagrama a seguir, o exemplo da formatação do exercício. Difere do anterior, pela movimentação do jogador-levantador (serve aos dois atacantes) e pela área de atuação do bloqueador (retângulo tracejado, em vermelho, paralelo à rede).

 

 

 

Nota

Os exercícios apresentados são, exclusivamente, para prática do bloqueio. Em estágio mais adiantado, o treinador pode incluir o jogador de defesa e procedimentos defensivos para o jogador-bloqueador. Por exemplo, nas bolas em que decidir não bloquear, afastar-se para o posicionamento defensivo: a manobra "Reco-Reco".

 

55 - Prática da função recepção - aproximação para o ataque - ataque - bloqueio. O exercício começa com um saque, da dupla oponente, no jogador-bloqueador. Este executa a sequência recepção - aproximação para o ataque - ataque e, imediatamente, posiciona-se para o bloqueio. O treinador, quase que no mesmo tempo do ataque, lança a bola para o J1/J2 na quadra adversária (diagrama anterior), que passará para o levantador e atacará. O bloqueador acompanha a movimentação do J1/J2 e faz o bloqueio. O ataque é só na paralela.

56 - Idem 55, com o ataque só na diagonal.

57 - Idem 55, com o ataque livre.

58 - Prática da função levantamento - bloqueio. O jogador-bloqueador executa o levantamento - em diferentes pontos da quadra -, desloca-se rapidamente para o posicionamento de bloqueio. O treinador lança a bola para o J1/J2 na quadra adversária, que passa e ataca na paralela.

59 - Idem 58, com o ataque na diagonal.

60 - Idem 58, com o ataque livre.

61 - Prática da função defesa - aproximação para o ataque - ataque - bloqueio. O jogador-bloqueador defende um bola - em diferentes pontos da quadra - e se desloca rapidamente para seu posicionamento de bloqueio. O ataque é só na paralela.

Nota

De modo geral, sempre que ocorre a defesa, o jogador que a realizou é o responsável pelo ataque. Não vamos fazer desta maneira, uma vez que, esta ação completa assemelha-se à da recepção - ataque. A fim de poupar tempo/esforço, partiremos do pressuposto de que a bola defendida passou direto para a quadra do adversário. Logo, o bloqueador faz a defesa e se desloca para seu posicionamento de bloqueio.

62 - Idem 61, com o ataque só na diagonal.

63 - Idem 61, com o ataque livre.

Nota

Nos artigos em que focaliza o bloqueio, chamei atenção, com toda ênfase, que não basta treinar o bloqueador apenas de modo isolado, ou seja, só bloqueando. É absolutamente indispensável treiná-lo desempenhando funções que desempenha no jogo. Para isso, é necessário simular todas as situações de jogo. Os exercícios desta sequência se prestam justamente para aperfeiçoar estas funções, digamos, múltiplas. Insisto para que os ataques sejam, inicialmente, e só na paralela, só na diagonal e, só depois, livre. A razão é proporcionar ao bloqueador o máximo de oportunidades de praticar.

 

Cont. no art. 16, com outra Sequência de Exercícios

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia