Técnica Individual - Art. 09

- Bloqueio

- Qualidades Indispensáveis para o Bloqueador

 

- Pontos de Referência para o Bloqueio.

No vôlei de praia o bloqueio é individual e por ser individual é requerida, ao bloqueador, extraordinária capacidade. No decorrer da apresentação do assunto, mencionei várias componentes que contribuem para uma boa performance no bloqueio, tais como uma boa impulsão no salto, equilíbrio do corpo em suspensão, percepção de direção, velocidade de deslocamento, etc. Afirmei que todas são igualmente importantes e interdependentes. Deixei para abordar separadamente um aspecto de fundamental importância para a execução do bloqueio individual; os Pontos de Referência para o Bloqueio. São referências que o bloqueador deve adotar para se posicionar no momento em que salta, tendo em vista:

- interceptar a passagem da bola;

- obstruir a passagem da bola para determinada zona da quadra, não coberta pelo defensor.

Ou seja, ele deve se posicionar tomando como base pontos de referência. Como vimos anteriormente, o bloqueador acompanha o atacante, olhando-o fixamente, desde o momento em que recepciona a bola ou realiza a defesa. Destes pontos, o atacante faz a Primeira Aproximação. Isto é, do ponto em que recepcionou o saque ou realizou a defesa, até o momento do levantamento. Do ponto em que finaliza a primeira, ele inicia a Aproximação Final, após a saída da bola das mãos do levantador. Em geral, são as passadas finais que antecedem o salto para o ataque.

Vimos que desde o momento em que o atacante recepciona ou defende, o bloqueador começa a raciocinar o que fará. Alguns elementos são importantes, ou seja:

- o ponto da quadra em que a recepção é feita;

- o ponto em que a bola é passada e, consequentemente, o ponto da quadra em que a bola é levantada;

- o afastamento/aproximação da bola em relação à rede, assim como a altura em que a mesma é levantada;

- a maneira pela qual o atacante faz a primeira e última aproximações;

- o salto do atacante;

- os movimentos do tronco e dos braços.

Todos estes elementos podem influir na decisão do bloqueador e determinar onde, como e de que maneira fará o bloqueio. O momento final do ataque, o salto e os movimentos do troco e dos braços, pode propiciar os elementos mais importantes para a tomada da decisão. É o momento em que o bloqueador tem que adotar pontos de referência. Vamos a eles.

 

Nota

O expediente de olhar fixamente para o adversário (as aproximações, o salto, os movimentos dos tronco e dos braços) não impede o bloqueador de olhar para a bola. É uma questão de treinamento. Olhar fixamente para a bola, como muitos apregoam, impede toda a avaliação mencionada. Com o treinamento, o bloqueador adquire a visão global de tudo que está ocorrendo, momentos antes do ataque e no exato momento do golpe.

 

Nas figuras 1 e 2 a seguir, uma representação gráfica, a fim de exemplificar e facilitar a compreensão do que se segue. Um corte da rede em duas porções. Na fig. 1, a parte da mesma que corresponde à saída da rede da quadra oposta. Na fig. 2, o corte que corresponde à entrada da rede da quadra oposta. As linhas em verde, em ambas as figuras, significam o braço direito (BD), o corpo (CO) e o braço esquerdo (BE).

 

 

- Pontos de Referência para o Bloqueio.

 

1 - O Braço de Preferência do Atacante.

Quando o bloqueador toma este ponto de referência, significa que ele se posicionará para saltar no bloqueio rigorosamente na frente do braço do atacante. Se o atacante for destro, no braço direito; se for sinistro, no braço esquerdo. O procedimento é recomendável para o bloqueio de atacantes exímios no ataque em determinadas direções. Por exemplo:

- na saída da rede da quadra oposta, para a paralela;

- na entrada da rede da quadra oposta, para a diagonal.

Nestes casos o bloqueador tenta impedir a primeira opção do atacante.

 

2 - O Corpo do Atacante

Quando o bloqueador toma este ponto de referência, significa que ele se posicionará rigorosamente na frente do corpo do atacante. De modo geral, a fim de obstruir o espaço que o atacante utiliza como segunda opção. Por exemplo:

- o atacante que ataca com o braço direito, na saida da rede da quadra oposta, com maior eficácia para a diagonal;

- o atacante que ataca com o braço direito, na entrada da rede da quadra oposta, na entrada da rede para a paralela.

No caso de jogadores que atacam com o braço esquerdo, os procedimentos são ao contrário.

 

Nota

Muitos bloqueadores exageram no posicionamento para o bloqueio da segunda opção. Por exemplo: saída da rede, para a diagonal; na entrada, para a paralela. De que maneira? Na saída, ficam à direita do corpo do atacante; na entrada, ficam à direita do corpo do atacantes. Isso não é bom. Na saída, deixam grande espaço para qualquer golpe, até para atacantes com pouca habilidade; na entrada, deixam muito espaço para o ataque na diagonal, também, até para atacantes não especialistas.

 

3 - A Bola.

Quando o bloqueador toma como ponto de referência a bola, significa que ele se posicionará rigorosamente na frente da bola, no momento em que o atacante desfere o golpe.

Com o procedimento de adotar pontos de referência o bloqueador está apto para:

- interceptar a bola e/ou, na melhor das hipóteses, marcar o ponto;

- obstruir a passagem da para determinada zona da sua própria quadra.

- diminuir o angulação que o atacante precisa para desviar a bola do bloqueio.

 

A seguir, serão apresentadas um a um os pontos de referência.

 

Pontos de Referências - Braço e Corpo do Atacante

Ataque na Saída da Rede da Equipe Adversária.

Braço de Preferência (direito) do Atacante

No diag. 1, o bloqueador postado em frente do braço direito do atacante. No caso de ataque na paralela (retângulo em laranja), é grande a probabilidade de sucesso com o bloqueio (ponto ou amortecimento da bola para a defesa). A bola atacada na diagonal encontrará o jogador de defesa (JD) posicionado para tentar a defesa (linhas tracejadas em laranja).

 

Corpo do Atacante

No diag. 2, o bloqueador postado em frente ao corpo do corpo do atacante. No caso, a passagem da bola atacada para diagonal está obstruída (triângulo em laranja); a defesa da bola direcionada para a paralela é atribuição do jogador de defesa (JD, linha traceja em laranja).

 

 

 

Nota

- Quando o atacante utiliza o braço esquerdo, o bloqueador deve postar-se em frente do braço esquerdo, a fim de obstruir a passagem da bola para a diagonal; na frente do corpo, para obstruir a passagem da bola para a paralela.

 

Pontos de Referências - Braço e Corpo do Atacante

- Ataque na Entrada da Rede da Equipe Adversária.

 

Braço de Preferência (direito) do Atacante

No diag. 4, o bloqueador postado em frente do braço direito do atacante. No caso de ataque na diagonal (triângulo em laranja), é grande a probabilidade de sucesso com o bloqueio (ponto ou amortecimento da bola para a defesa). A bola atacada na paralela encontrará o jogador de defesa (JD) posicionado para tentar a defesa (linhas tracejadas em laranja).

 

Corpo do Atacante

No diag. 3, o bloqueador postado em frente ao corpo do corpo do atacante No caso, a passagem da bola para a paralela está obstruída (retângulo em laranja); a defesa da bola direcionada para a diagonal é atribuição do jogador de defesa (JD, linhas tracejas em laranja).

 

 

 

Nota

Quando o atacante utiliza o braço esquerdo, o bloqueador deve postar-se em frente do braço esquerdo, a fim de obstruir a passagem da bola para a paralela; na frente do corpo, para obstruir a passagem da bola para a diagonal.

 

3 - A Bola

O bloqueador se posiciona defronte à bola, diminui o espaço (angulação) que o atacante para evitar o bloqueio. Mas, em contrapartida, pode propiciar espaço para que o atacante desfira seus golpes, tanto para a diagonal quanto para a paralela, com igual facilidade.

É uma opção boa para bloqueadores que possuem grande estatura e impulsão. Com isso, conseguem invadir com os dois braços o espaço da quadra adversária e aproximar-se ao máximo o ponto em que a bola é atacada.

Nos diagramas a seguir, à guisa de ilustração, é possível fazer uma comparação. No diag. 5, a bloqueio (retângulo em amarelo) está mais próximo da bola. Repare que a angulação para colocar a bola é bem menor do que no diag. 6, que a bola está mais afastada do bloqueio.

É bem verdade que o ataque com a bola mais próxima da rede é mais para baixo, portanto, menos defensável. Todavia, a probabilidade de sucesso com o bloqueio, em contrapartida, aumenta bastante.

 

 

Nota

A opção de ter como ponto de referência a bola, não significa que o bloqueador não tenha que observar procedimentos precedentes, isto é, o de acompanhar as aproximações do atacante (desde a recepção ou da defesa), o salto, os movimentos do tronco e dos braços. Isso tudo não impede que ele mantenha, o tempo todo, a bola sob seu campo visual. Muito pelo contrário, proporciona elementos para tomada de decisões, ou seja: o ponto em que deve saltar, o tempo de bloqueio, etc...

 

- Símbolos vinculados aos Pontos de Referência.

As duplas de alta competitividade possuem códigos para sinalizar suas intenções, diante de determinadas situações de jogo. Por exemplo, no ataque o código é oral: linha, diagonal, corredor paralela, 1 e 2, etc... No bloqueio, são visuais. O bloqueador sinaliza com os dedos o procedimento que irá adotar, isto é.

O bloqueador sinaliza com os dedos da mão direita o que pretende adotar para o bloqueio do atacante que está a sua direita, na quadra adversária (atacante da entrada de rede). Com os dedos da mão esquerda, o que pretende adotar para o bloqueio do atacante que está à sua esquerda, na quadra adversária (atacante da saída da rede). O código mais usado:

1 - Com os dedos.

1. 1 - Dedo indicador sinalizando o número 1: bloqueio fechando a bola atacada na paralela.

1. 2 - dedo indicador e médio sinalizando o número 2: bloqueio fechando a bola atacada na diagonal.

 

2 - Com as mãos.

2.1 - Punho Cerrado: significa que o bloqueio tomará a bola como ponto de referência.

2.2 - Mãos Abertas: significa que o bloqueador não vai saltar tudo; no caso, é grande a probabilidade do mesmo sair do bloqueio para a defesa; manobra "Reco-Reco".

 

Cont. no art. 10, com Exercícios para a Aprendizagem e o Aperfeiçoamento do Bloqueio

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia