Técnica Individual - Art. 07

- Bloqueio

- Qualidades Indispensáveis para o Bloqueador

 

E - Velocidade de Deslocamento.

O ataque no Vôlei de Praia ocorre em locais absolutamente previsíveis: do meio para uma das extremidades da rede. Paradoxalmente, o bloqueador deve ter velocidade de deslocamento a fim de desincumbir-se de atribuições específicas, de modo geral, de acordo com a tática adotada, ou seja:

- bloqueador único que saca;

- bloqueador que se encarrega da bola colocada de 2a na zona de ataque;

- bloqueador que recupera a bola "largada", após o bloqueio;

- bloqueador que, ao invés de bloquear, se afasta para a defesa no corredor ou na diagonal "reco-reco".

- bloqueador que, ao invés de bloquear, se encarrega da "largada" na zona de ataque (cruzada).

 

Nota

 

Na parte do Just Volleyball em que trata das transições de um sistema para o outro, abordo outros tipos de deslocamentos decorrentes da troca de uma função para outra.

 

 

- Bloqueador Único que Saca.

É comum numa dupla um dos jogadores bloquear sempre e o outro defender sempre. Neste caso, o bloqueador, quando saca, deve fazê-lo e se deslocar em grande velocidade para a rede, a fim de se posicionar para tentar o bloqueio.

No diagrama a seguir, está demonstrada a movimentação do jogador que joga - sempre - no bloqueio, tanto quando saca no adversário que está a sua frente quanto no que está em sua diagonal.

 

 

 


 

- Bloqueador que se Encarrega da Bola Colocada de 2a na Zona de Ataque.

O bloqueador quando se coloca antecipadamente na rede, a fim de efetuar o bloqueio, deixa o restante da quadra para o companheiro defender uma possível bola colocada no 2o toque. Esta ocorre:

- circunstancialmente, pelo jogador adversário, no momento em que se prepara para o levantamento;

- estrategicamente, com meio de ataque.

A fim de inibir esta maneira de ataque, o bloqueador pode aguardar o levantamento no centro da rede e em local mais afastado da rede (cerca de 3 metros). Após o levantamento, então, desloca-se rapidamente em direção ao ponto em que o ataque é realizado, de maneira que possa parar e saltar verticalmente, como recomenda a técnica individual (diagrama a seguir).

 

 

 

Nota

 

Se, em lugar da bola de Segunda, houver o levantamento, desloca-se rapidamente em direção ao atacante, de maneira a que possa parar e saltar vertical e equilibradamente, como recomenda a técnica individual.

 


 

- Bloqueador que Recupera a Bola " Largada " , após o Bloqueio.

O bloqueador deve possuir a capacidade de, após o toque da bola em seu bloqueio, tentar recuperá-la para iniciar um novo ataque. Para que isso seja possível é necessário que salte equilibradamente e, ao tocar no solo, se desloque o mais rápido possível (seta tracejada em vermelho). Como no Vôlei de Praia a regra permite apenas mais dois toques após o do bloqueio, a primeira preocupação é não deixar a bola cair. A segunda, dependendo da maneira com que consegue chegar na bola, é levantar (trajetória da bola linha interrompida em verde) a mesma para o companheiro (JD) , de modo atacável. (diagrama a seguir).

 

 

 

Notas

 

- Essa situação de jogo ocorre frequentemente. É comum, após o salto para o bloqueio, o jogador dar por encerrada a sua participação. Essa atitude deve ser reprovada nos treinamentos, uma vez que, quando a bola toca no bloqueio, dificilmente é recuperada. No feminino, pela menor velocidade nesses deslocamentos, raramente a bola continua em jogo.

- A meu ver, o treinamento deve visar, além da velocidade de deslocamento e da habilidade de recuperar a bola, a mudança de atitude do jogador, isto é, repito, a de passar a tentar recuperar essas bolas.

 


 

- Bloqueador que ao invés de Bloquear, se Afasta para a Defesa na Paralela ou Diagonal ("Reco-Reco").

É a manobra tática que ocorre quando o bloqueador percebe que uma bola, por qualquer motivo, não pode ser atacada com uma cortada violenta. Afasta-se da rede e encarrega-se da defesa do ataque direcionado para a diagonal ou para a paralela, dependendo do que está estabelecido com o seu companheiro. Trata-se de uma manobra que requer extrema velocidade de deslocamento, realizado de costas, num percurso de cerca de 4 metros.

No diagrama a seguir, a manobra "Reco-Reco". O JB recua perpendicularmente à rede (linha interrompida em verde), para defender a bola atacada na paralela. Recua diagonalmente (linha interrompida em vermelho).

 

 

 


 

- Bloqueador que, ao invés de Bloquear, se encarrega da "largada "na Zona de Ataque ( Cruzada ).

Ocorre na mesma circunstância do "Reco-Reco", ou seja, não há a possibilidade de um ataque forte por meio de cortada. Ao invés de deslocar-se para o fundo da quadra, o faz lateralmente para a área da sua zona de ataque, onde deverá/poderá ser colocada a "largada" cruzada (diagrama a seguir).

 

 

 

 

Cont. no art 08, com outra Qualidade Indispensável; Destreza

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra

  Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Ofensivo - Vôlei de Praia  

 

Ir para Menu Estratégias/Táticas do Sistema Defensivo - Vôlei de Praia

Ir para Menu Vôlei de Praia