Téc. Individual - Art. 52

Ataque

- Elementos Fundamentos da Técnica Individual.

- Procedimentos que influenciam o Ataque.

- O Golpe - momento final do ataque (continuação).

- Quanto ao Ponto do Golpe na Bola - habilidade.

Em artigos precedentes, mencionamos que a bola pode ser golpeada em alguns pontos, a fim de direcioná-la para o ponto mais conveniente da quadra adversária. Na figura a seguir, apresentamos a bola dividida em partes e com número correspondentes aos pontos mencionados abaixo.

- No centro (1);

- No centro esquerdo (2);

- No centro-direito (3);     

- No centro alto (4);

- No centro baixo (5).

 


- Centro da Bola.

Não é um golpe comum, tampouco apropriado. Quando ocorre, intencionalmente ou não, a bola tende a sair com trajetória paralela ao solo e, em virtude disso, dificilmente tocará na quadra adversária. É utilizada, na maioria das vezes, para "explorar" o bloqueio. Isto é, o atacante bate reto, tentando fazer com que a bola toque o bloqueio e se dirija para fora da quadra e, por conseguinte, também fora do alcance dos defensores.

 


 

- Centro-Esquerdo / Centro-Direito.

São os golpes mais utilizados. Dependendo do ponto da rede em que o ataque é realizado, a face da bola em o golpe é desferido, facilita o direcionamento da bola para determinados pontos da quadra adversária. Veja no quadro que se segue.

Centro-Esquerdo
- entrada da rede:
- apropriado para direcionar a bola para a diagonal.
  - saída da rede: - apropriado para direcionar a bola para a paralela.
   
Centro-Direito: - entrada da rede: - apropriado para direcionar a bola para a paralela,
  - saída da rede: - apropriado para direcionar a bola para a diagonal.

 

Nota

Com o intuito de desenvolver a habilidade do atacante, o treinamento deve ter como objetivo capacitar o mesmo para desferir os golpes em todos os pontos da bola.

 


 

- Quanto à Velocidade dos Movimentos do Braço no Momento do Golpe.

 

Como já vimos anteriormente, a potência do golpe resulta, entre outros fatores, da velocidade do movimento do braço. Quanto maior for a velocidade, maior será a velocidade da trajetória da bola. O golpe potente, no qual obtém-se a maior velocidade na trajetória da bola, é um dos meios de ataque. Nem sempre é possível, em face de circunstâncias, ou apropriado, por opção tática. Em determinadas ocasiões o atacante gradua a velocidade do braço. Vejamos os casos.

 

1 - Velocidade Máxima.

É o golpe mais comum. O atacante tenta imprimir a maior velocidade possível à bola, a fim de impossibilitar a defesa pela equipe adversária. No diagrama a seguir, os pontos da quadra em que os golpes com velocidade máxima do braço são buscados. É importante mencionar que a bola tem que passar fora do alcance do bloqueio.

 

 

2 - Velocidade Média - Meia Batida.

É o golpe utilizado para direcionar a bola fora do alcance do bloqueio e do jogador da defesa. A velocidade do braço não é máxima, apropriada para a cortada forte; nem mínima, apropriada para a "colocada". No diagrama a seguir, apresento, como exemplo, três golpes em que o atacante utiliza a velocidade média do braço . O "Lob" por cima do bloqueio; o "Lob" sobre o jogador de defesa (JD); a meia batida na diagonal "fechada".

 

 

3 - Velocidade Mínima.

É o golpe utilizado para as "colocadas"/"largadas", isto é o direcionamento da bola fora do alcance do bloqueio e do jogador da defesa em que a trajetória da bola é lenta. O atacante, no caso, opta pela precisão em detrimento da velocidade da bola. No diagrama a seguir, apresento pontos da quadra mais visados com o golpe com velocidade mínima do braço. Atrás ou pelos flancos do bloqueio e na diagonal "fechada".

 

 

No treinamento, é importante simular situações de jogo e fazer com que os jogadores executem o ataque por meio de todos os tipos de golpes, ou seja, a cortada forte, a meia batida e a "colocada". O atleta tem que ser conscientizado da importância de possuir habilidade em todos os golpes.

Outro aspecto de suma importância é que os golpes devem ser praticados em vários estágios.

 

Treinamento Técnico Individual.  
   
- Na aprendizagem: - com bolas alçadas pelo treinador;
- No aperfeiçoamento: - com bolas alçadas pelo levantador;
- No alto nível: - após a recepção e/ou defesa e o levantamento.

 

 

Treinamento Tático.  
   
Em situações de jogo: - após a recepção do saque;
  - após a defesa e/ou toque no bloqueio.

 

Continuação no art. 53 com Exercícios para a Aprendizagem e o Aperfeiçoamento dos fundamentos da técnica individual do Ataque.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra