Téc. Individual - Art. 49

Ataque

- Elementos Fundamentos da Técnica Individual.

- Procedimentos que influenciam o Ataque (continuação)

 

- O Salto.

 

É de fundamental importância para o sucesso do ataque. Dois fatores são essenciais para um bom salto:

- a impulsão

- o equilíbrio do corpo no ar.

 

- A Impulsão.

Resulta das qualidades: - mecânica/qualidade do salto;
  - física do atleta.

 

Qualidade Mecânica do Salto.

Alguns aspectos, além da qualidade física do atleta, contribuem para a boa impulsão:

- a colocação dos pés no momento do salto, ou seja, os pés funcionam como uma espécie de "mata-borrão". O atleta toca o solo com os calcanhares, faz um movimento de mata-borrão e deixa o solo com os dedos;

- o ângulo de flexão das pernas, que deve ser em torno de 90 graus (coxas e pernas);

- o movimento dos braços - no momento em que o atleta toca o solo, os braços fazem um movimento amplo, veloz e coordenado para trás e de elevação para frente. No momento do golpe, o braço que o realiza eleva-se ao máximo, a fim de alcançar a bola no ponto mais alto possível.

A coordenação e a velocidade com que todos estes movimentos são realizados influem significativamente para uma boa impulsão.

 

Qualidade Física do Atleta.

A qualidade física do atleta, isto é, algumas valências são de extrema importância para o salto e para os movimentos dos membros superiores.

 

- Flexibilidade do movimento de flexão e extensão dos pés.

O movimento de flexão extensão das pernas sobre os pés pode ser mais ou menos amplo. A flexibilidade deste movimento é, sobretudo, propiciada pela elasticidade dos músculos do tríceps sural (a chamada panturrilha), do tendão de aquilles e dos músculos dos pés. A amplitude deste movimento é essencial para a qualidade do salto como todo, pois o mesmo é responsável pelo primeiro estágio da impulsão para o salto.

 

- Força explosiva dos músculos da perna.

A força explosiva dos grupamentos musculares que envolvem a perna e os pés é fundamental para este, repito, primeiro estágio da impulsão.

 

- Força explosiva dos músculos da coxa.

Os músculos da coxa são base para a boa impulsão. A força explosiva é requerida aos músculos que formam o quadríceps e os grupamentos da face posterior da coxa.

 

- Flexibilidade de movimentos dos braços.

Como vimos anteriormente, os movimentos dos braços influem significativamente para uma boa impulsão. Eles devem ser amplos e, para isso, é indispensável à maior amplitude possível dos mesmos. Todos os grupamentos da face anterior e anterior do tórax, dos ombros e dos braços, assim com todos os tendões devem possuir flexibilidades máximas.

 

- Força explosiva dos braços.

É responsável pela potência do golpe. Os movimentos dos braços propriamente ditos dependem da inserção dos músculos nos ombros e no tórax. Esta rede deve ser extremamente forte, pois é muito solicitada em movimentos altamente traumáticos. O treinamento da força explosiva possibilita um impacto maior na bola, que num movimento isolado quer em sessões de treinamento quer no decorrer de um jogo.

 

Nota

Sobre os itens que tratam dos movimentos do tronco de dos braços, vale mencionar dois exemplos que enriquecem o assunto.

O primeiro, da ex-atacante da Seleção Brasileira, Isabel Salgado. Foi uma das grandes atacantes da história. Como característica marcante, tinha extraordinária impulsão. Além de extraordinária força explosiva, um do fator preponderante para isso, aproveitava-se de excepcionais movimentos dos braços que realizava no momento do salto.

O segundo, o do atacante Nalbert Bitencourt da Seleção Brasileira, campeão Mundial e Olímpico. Como foi largamente divulgado, sofreu gravíssima lesão no ombro. Segundo ele mesmo contou, em virtude do brutal movimento dos braços que realizava por ocasião da impulsão.

Por estes dois exemplos, dá para ser ter idéia da importância dos movimentos dos braços para uma boa impulsão.

 

Cont. no art. 50, com Os Movimentos do Corpo - tronco e braços - em Suspensão.

 

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra