Téc. Individual - Art. 35

Elementos e Recursos Fundamentais para a Técnica Individual no Bloqueio - Parte I

- Fundamento - Bloqueio Parado.

- Bloqueio no Chão com Ataque.

 

- Ataque do Chão por Companheiros.

 

- Objetivos dos Exercícios.

- Desenvolver o tempo de bloqueio.

- Induzir a invasão dos braços.

- Desenvolver a velocidade de flexão e extensão das pernas.

- Adaptar o fundamento à ação mais próxima da realidade.

- Familiarizar o bloquedor com o impacto da bola e suas conseqüências.

Desenho de Eduardo Rodrigues

- Seqüência de Exercícios 02 - Parte I.

Exercício 38 - O companheiro no chão, segurando a bola com uma das mãos. A bola deve ficar acima da sua cabeça. O ataque deve ser feito com a outra mão com uma cortada rápida, de tal forma que o bloqueador não tenha muito tempo para saltar e o faça com velocidade máxima. O bloqueador tem que executar o fundamento o mais rápido possível, ou seja, a flexão e extensão das pernas, sobretudo a invasão dos braços no ângulo convencionado e as mãos no prolongamento dos braços. É vital que a queda se dê no mesmo local do salto. O objetivo‚ é o de que, no momento da batida, o bloqueador tenha completado a execução do fundamento, de tal maneira que a bola volte direto para o chão (fig. a seguir).

Nota

O bloqueador deve olhar fixamente para os movimentos do companheiro que está atacando. Com este procedimento ele pode avaliar corretamente o momento exato que deve saltar; tempo de bloqueio.

 

- Erros mais Freqüentes.

- Lentidão no movimento de flexão-extensão das pernas.

- Lentidão no movimento de invasão dos braços.

- Colocação incorreta das mãos.

- Desequilíbrio para frente, antes do bloqueio, acarretando toques na rede e para trás, após o bloqueio. É fundamental a manutenção do espaço entre o corpo e a rede.

Exercício 39 - Idem 38, com o companheiro atacando à direita do bloqueador. O companheiro deve indicar a direção e atacar o mais rápido possível. O bloqueador, ao perceber a direção da bola, deve saltar e movimentar os dois braços na direção apontada. O exercício deve ser realizado no meio da rede e nas duas extremidades da mesma, simulando diferentes tipos de ataque. Por exemplo, na posição 2 (saída da rede), o ataque à direita corresponderia a uma tentativa de "explorar" o bloqueio. No caso, há necessidade de uma ligeira "virada" da palma da mão esquerda para dentro da quadra (movimento de supinação), a fim de que a bola, ao bater nas mãos, volte para o interior da quadra. Na posição 4 (entrada da rede), o mesmo ataque à direita, corresponderia a um ataque em diagonal. Neste caso, o bloqueador não deve "virar" as mãos, pois uma bola ao bater no bloqueio terá como trajetória lógica a maior parte da quadra (fig.3-16).

Exercício 40 - Idem 39, com o companheiro atacando à esquerda do bloqueador. O procedimento de "virada" das mãos dar-se-á ao contrário.

Exercício 41 - O companheiro que está atacando segura a bola e indica, com um movimento de rotação do tronco, o ataque para a direita ou para esquerda, de modo aleatório. O bloqueador, olhando fixamente para o movimento do atacante, salta e ajusta os braços e as mãos para executar o bloqueio.

 

- Erros mais Freqüentes.

- Desequilíbrio para direita/esquerda.

- Atraso na percepção da direção da bola e, em conseqüência, na invasão dos braços.

- Levados por instinto, os bloqueadores "viram" as mãos no sentido contrário a direção da bola. Nos ataques para a diagonal, a bola tende a tocar no bloqueio e sair pela linha lateral da quadra.

Exercício 42 - Dois companheiros (lado a lado), cada um com uma bola, como nos três exercícios anteriores, atacando a bola com um intervalo mínimo de tempo entre uma e outra, de modo a que o jogador faça dois bloqueios consecutivos o mais rápido possível.

Nas figuras, a seguir, está demonstrada seqüência toda. Na A, o promeiro bloqueio. Na B, o momento em que o bloqueador toca o solo e torna a saltar. Na C, o momento em que executa o segundo bloqueio. Reparem que os dois companheiros, que estào atacando, ficam bem aproximados. (figs. a - b - c, a seguir).

           

Nota

É importante que, após o primeiro salto, o jogador não abaixe muito os braços. Os mais altos terão mais facilidade. Os mais baixos têm necessidade de utilizar-se dos braços para melhor impulso. O treinador deve estar atento para ajudar a estabelecer individualidades. O outro objetivo do exercício‚ o salto e a queda no mesmo lugar. O que varia é a movimentação dos braços, para a direita ou esquerda.

Exercício 43 - Idem 42, com os dois companheiros atacando mais de uma bola cada. O jogador fará 2-4-6-8 bloqueios consecutivos.

 

- Erros mais Freqüentes.

- Desequilíbrio para direita/esquerda comprometendo os saltos subseqüentes.

- Desequilíbrio para trás após o impacto da bola.

- Em virtude da exaustão que o exercício provoca, dificuldade em colocar corretamente as mãos.

- Perda de impulsão após os primeiros saltos.

Notas

- O treinador deve supervisionar a execução dos companheiros que colaboram atacando as bolas. Com o desenrolar do trabalho, pode haver atraso nas batidas e "facilitamentos" recíprocos que comprometem o objetivo dos exercícios, além de provocarem acidentes pela batida da bola no rosto dos jogadores.

- No momento em que começam exercícios com o ataque de duas ou mais bolas, o risco de acidentes - o bloqueador pisar em bolas que circulam pelo chão - passa a ser maior; todo cuidado é pouco com acidentes.

 

Cont. no art. 36, com outra Seqüência de Exercícios (em construção).

Voltar ao Menu Técnica Individual - Vôlei de Quadra