Téc. Individual - Art. 31

Elementos e Recursos Fundamentais para a Técnica Individual no Bloqueio - Parte I

- Fundamento - Bloqueio Parado.

- Exercícios para Aprendizagem.

 

É fundamental, para uma boa produção do bloqueador, o domínio perfeito do fundamento. Aparentemente o fundamento não é complexo, mas em poucas oportunidades o salto puro e simples não é possível. Na quase totalidade das situações de jogo são necessários:

- deslocamentos em velocidade;

- o tempo de bloqueio;

- a visualização global da jogada;

- a companhia dos companheiros em bloqueios duplos/triplos;

- etc...

A aprendizagem requer extrema paciência, detalhamento nas correções e repetição exaustiva, de tal forma que o fundamento fique apreendido, assimilado, sob todas as circunstâncias de uma partida.

Outro aspecto capital é o da necessidade do treinador dever enfatizar os objetivos de cada exercício, de cada movimento. É preciso que o jogador esteja preparado para as dificuldades que vai encontrar em cada situação de jogo e se aprimore sempre para minimizá-las.

 

Exercícios Sobre uma Plataforma (Aprendizagem do Fundamento).

A plataforma‚ retangular, de 3 m x 40 cm (base), com 10 a 20 cm de altura.

- Objetivos dos Exercícios sobre Plataforma.

- Precisão do salto - saltar e cair exatamente no mesmo lugar.

- Manutenção do mesmo espaço entre o corpo e a rede no momento da impulsão, no ar e na queda.

- Manutenção do equilíbrio do corpo no ar.

- Ajustar a angulação dos braços em relação à rede.

Nota

- O uso da plataforma para os Exercícios de bloqueio foi por mim introduzido, como resultado de observação da utilização de "steps" em ginástica aeróbica. Obtive excelentes resultados para a aprendizagem e correção de vícios em jogadores até de equipes competitivas.

- No vôlei de praia, em virtude da irregularidade do piso o "step" ficará instável e, portanto, inadequado para a prática. Um colchonete flexivel com as mesmas dimensões pode ser boa opção. O objetivo de saltar/cair no mesmo lugar, por exemplo, pode ser bem trabalhado.

- O processo de adaptação à plataforma é muito perigoso; e deve ser lento e progressivo para evitar contusões.

- Seqüência de Exercícios 01 - Parte I

Exercício 01 - Salto invadindo apenas com a metade do ante-braço. A impulsão ser obtida com uma pequena flexão das pernas, num ângulo entre 140/150º (os jogadores de menor estatura necessitam de ângulo maior). O movimento de flexão e extensão têm que ser, sempre, o mais rápido possível. O ângulo dos ante-braços em relação rede‚ entre 30/40o - os jogadores de menor estatura têm dificuldade de conseguir esta angulação - (figura a seguir).

Desenho de Eduardo Rodrigues

Exercício 02 - Salto invadindo, pelo menos, os ante-braços. O ângulo de flexão das pernas, desta feita, deve ser entre 90/100º (os jogadores de menor estatura necessitam de ângulo maior). O ângulo dos ante-braços em relação à rede é entre 60/70º (os jogadores de menor estatura têm dificuldade de conseguir esta angulação) - Figura a seguir.

Desenho de Eduardo Rodrigues

 

- Erros mais Freqüentes.

- No momento do salto, flexionar demasiadamente o tronco, tranferindo a força das pernas para os músculos dorso-lombares.

- Tirar os calcanhares do chão no momento do salto, implicando em perda de equilíbrio.

- Afastar ou unir demasiadamente as pernas.

- Perda do equilíbrio para frente ou para trás, o que a plataforma, paulatinamente contribuirá para sanar.

- Não observância do ângulo dos braços em relação à rede.

- Colocação incorreta das mãos. Muito unidas, viradas para os lados, dedos fechados, etc...

 

- Seqüência de Exercícios 01 - Parte II

- Com um companheiro sobre uma mesa, segurando uma bola do lado oposto da rede.

A bola na frente da cabeça do bloqueador (figura a seguir).

Desenho de Eduardo Rodrigues

- Objetivo dos Exercícios.

- Precisão do salto. Saltar e cair no mesmo lugar.

- Manutenção do mesmo espaço entre o corpo e a rede.

- Manutenção do equilíbrio do corpo no ar.

- Ajustar a angulação dos braços em relação à rede.

- Ajustar o espaço entre as mãos.

 

Exrecício 03 - Salto invadindo apenas com a metade do ante-braço. A impulsão ser obtida com uma pequena flexão das pernas, num ângulo entre 140/150º (os jogadores de menor estatura necessitam de ângulo maior). O movimento de flexão e extensão têm que ser, sempre, o mais rápido possível. O ângulo dos ante-braços em relação rede‚ entre 30/40o - os jogadores de menor estatura têm dificuldade de conseguir esta angulação. Os braços devem ficar afastados de forma que u'a mão fique à direita e à outra a esquerda da bola. A bola serve como uma motivação, como uma referência; não há necessidade de tocá-la. O exercício tocando a bola implica na diminuição do espaço entre as mãos - uma tendência natural - que deve ser evitada..

Exrecício 04 - Salto invadindo, pelo menos, os ante-braços. O ângulo de flexão das pernas, desta feita, deve ser entre 90/100º (os jogadores de menor estatura necessitam de ângulo maior). O ângulo dos ante-braços em relação à rede é entre 60/70º (os jogadores de menor estatura têm dificuldade de conseguir esta angulação).

- Erros mais Freqüentes.

- Diminuição do espaço entre as mãos, na ânsia de tocar a bola.

- Desequilíbrio do corpo para frente, pela motivação de tocar na bola.

- Mão na rede.

- Espaço demasiado entre o bordo da rede e os braços.

- Demora na colocação dos braços.

O movimento tem que ser retilíneo da posição fundamental à bola. Constituí um erro comum o bloqueador sair com os braços de uma posição muito detrás. Este movimento (muito comum) tem que ser corrigido, pois no movimento de colocação das mãos o jogador rebate a bola atacada. Na figura a seguir, os traços representam o movimento dos braços. O verde é o movimento correto, isto é, direto para a angulação perfeita. O vermelho a errada, ou seja, o movimento dos braços tende a rebater a bola.

Nota

Este erro ocorre, quase sempre, por posicionamento incorreto no momento do salto. O jogador não salta com o espaço adequado em relação à rede; o tronco fica muito próximo da rede. Isso impossibilita que a invasão seja realizada de modo direto.

- No ponto morto da impulsão, o corpo e, sobretudo, os braços e mãos devem estar com a musculatura contraída. É comum o jogador negligenciar este aspecto, por desmotivação causada pela repetitividade que o treinamento requer.

- Abaixar a cabeça para atingir maior alcance.

Nota

Os jogadores de vôlei de praia encontrarão, sobretudo os iniciantes, dificuldade para a execução destes exercícios. Um recurso recomendável, para que não haja comprometimento na qualidade das execuções, é o de abaixar um pouco a rede; abaixar a altura da bola... nunca!!!

Cont. no art. 32 com outra Seqüência de Exercícios.

Voltar ao Menu Técnica Individual - Vôlei de Quadra.