Estratégia/Tática - Artigo 22

Estratégia/Tática Coletiva - Recepção do Saque

 

- Recepção do Saque - Conclusão.

 

A Estratégia Ofensiva é desencadeado em duas situações de jogo, por ocasião da recepção do saque e na transição do sistema defensivo para o ofensivo; obviamente após o amortecimento da bola pelo bloqueio ou o domínio da mesma pela defesa. Dentre as duas, a que ocorre com muito maior freqüência e inevitavelmente é a recepção do saque. Da qualidade dela dependem duas outras funções, o levantamento e o ataque. Ou seja, é uma função "chave", que dita o equilíbrio do jogo a tal ponto que quando uma equipe não recepciona o saque com eficácia, geralmente sofre pontos sucessivos, desestabiliza-se taticamente, torna-se insegura e, conseqüentemente, entusiasma o adversário.

Considerando que o saque é o único momento em que o adversário é obrigado a enviar a bola de maneira pré-estabelecida, previsível, convencionada, etc... , a equipe que o recepciona tem tempo para armar-se da maneira mais adequada. A questão passa a ser como preparar, técnica e taticamente, os jogadores que desempenham a função e como conduzir o treinamento para que a equipe alcance o nível requerido pela competição que pretende vencer. Nos artigos sobre a recepção, tive a preocupação de apresentar o que e como devem ser treinados os fatores fundamentais para a eficácia da recepção do saque. Primeiramente, o que:

- as qualidades físicas, primeiramente para " chegar " na bola e depois, para executar os fundamentos da recepção do saque (o toque e a manchete);

- a postura de expectativa mais propicia, para iniciar o deslocamento;

- os detalhes para uma boa técnica individual;

- os aspectos táticos que os jogadores devem estar familiarizados.

Soma-se a tudo isso o controle emocional que o jogador deve possuir e, ao meu ver, é influenciado por esses fatores. O passador capaz convive muito melhor com a pressão inerente à função. O incapaz está sujeito à instabilidade e, por conseguinte, ao comprometimento da sua performance. Como desenvolver melhorar ou aperfeiçoar esses fatores?

Apresentei algumas características específicas das sessões do treinamento, atitudes que os jogadores devem colocar em prática na execução do mesmo, exercícios bem objetivos e observações, baseadas na minha experiência, para que se possa alcançar o melhor aproveitamento possível. Tudo isso, a fim de contribuir para que o treinador possa elaborar um treinamento rico em diversidade e, acima de tudo, em qualidade.

Finalizando, considero importante salientar a importância de outros dois aspectos. Primeiramente, o conhecimento que o jogador deve ter do jogo em geral e da sua atribuição em particular. Procurei argumentar todos os meus pontos de vista para que possam ser avaliados e aperfeiçoados. Em segundo lugar, reafirmar que a recepção do saque é uma função do sistema ofensivo, mas para que este seja eficaz é indispensável que os jogadores incumbidos do levantamento e do ataque estejam solidários uns aos outros. No momento que o levantador sequer pensar que uma bola má recepcionada o exime da responsabilidade de executar um bom levantamento e, na função sucessiva, o cortador pensar que uma má levantada o exime da responsabilidade de tentar colocar a bola no chão, esta é uma equipe que não chegará a lugar algum. Quando uma recepção não é ideal é que se pode avaliar a capacidade do levantador. Quando o levantamento não é ideal é que se pode avaliar a capacidade do cortador. A atitude tem que ser, sempre, de solidariedade.

 

A partir do artigo 23 a passaremos a focalizar o Levantamento e o Ataque de todos os tipos de bolas

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra