Estratégia/Tática - Artigo 16

Estratégia/Tática Coletiva - Recepção do Saque

- Treinamento Tático, Associado às Demais Funções do Sistema Ofensivo

 

- Exercícios de Aplicação.

Nos artigos sobre a Técnica Individual que abordam a manchete e o toque acima da cabeça, apresento várias seqüências de exercícios, cujo objetivo é o de aperfeiçoar a capacidade dos jogadores que atuam recepcionando o saque.

No momento em que é praticada como função do sistema ofensivo, deve ser treinada de duas maneiras, isto é:

- como ação estanque

- como ação vinculada

 

- Como ação Estanque.

É o treinamento, uma por uma, das disposições táticas, de cada um dos seis rodízios. Neste tipo de prática é possível estabelecer o procedimento individual de cada jogador, que recepciona ou não.

Vamos tomar com exemplo o diagrama que se segue. A equipe está realizando o rodízio No. 1 - em vermelho ao lado. Os jogadores 5 e 2 recepcionam em todos os rodízios e o Líbero compõe o sistema de recepção com 3 jogadores. Vejamos, por exemplo, alguns procedimentos que podem ser estabelecidos.

O No. 5, que não está na linha de ataque, assume maior parte da quadra - setas em azul claro..

O No. 2, que está na rede, ocupa menor parte (setas em azul marinho).

O Líbero é responsavel pela bolas direcionadas na faixa central da quadra.

O atacantes 4 e 3, esperam a passagem da bola para iniciarem seus deslocamentos.

O No. 2, receptor-atacante, recepciona e aproxima-se para o ataque. Quando não recepcionar, deve iniciar a aproximação antecipadamente.

Etc...

 

 

Nota

Os procedimentos são pré-estabelecidos de acordo com as características e aptidões dos jogadores envolvidos no sistema. São, de modo geral, rígidos e devem ser praticados tendo em vista ao perfeito entrosamento entre todos e, por conseguinte, ao melhor funcionamento possível. Considero importante, contudo, que a equipe esteja preparada para fazer ajustes, no decorrer da partida.

Concluindo, no treinamento Estanque, apenas da recepção, o treinador dispensa a participação dos atacantes e fixa-se apenas na prática dos procedimentos dos jogadores que a executam. Vale lembrar que, em um planejamento bem elaborado, este tipo de treinamento está previsto para aperfeiçoamento da técnica individual.

 

- Como Ação Vinculada.

É o modelo em que o Sistema Ofensivo - recepção, levantamento, ataque e cobertura do ataque, como todo, será treinado. Vamos utilizar o diagrama que se segue para exemplificar.

Treinadores e/ou colaboradores (T em verde) executam saques - com diferentes trajetórias - para a equipe disposta na recepção. Rodízio por rodízio, todos os seis.

O treinador deve dirigir o treinamento com o propósito de ajustar as ações de todos os jogadores envolvidos no sistema, de acordo com, por exemplo:

- cada tipo de saque;

- cada trajetória da bola - curta, média, longa;

- cada direção que a bola toma.

Deve estabelecer, diante de um saque em que a bola é direcionada para a pos. 5 da quadra:

- quais procedimentos No. 5 e o Líbero tomarão para a recepção;

- quais procedimentos No. 4, No. 3 e No. 2 adotarão para o ataque;

 

Da mesma maneira, nos saques direcionados para a pos. 1:

- quais procedimentos Libero e no. 2 adotarão para a recepção;

- quais procedimentos o levantador e os atacantes terão que adotar.

Idem, para o caso dos saque direcionados para a faixa central da quadra.

No diagrama a seguir, as trajetória da bola sacada (stas em verde claro) e a movimentação de todos os jogadores. A infiltração do Levantador, No. 1, para a Zona de Levantamento (linha tracejada em verde). De No. 4 e No. 3 para o ataque (setas em veremlho claro). De No.2, que está formado na recepção, para o ataque no terço central da rede (seta em vermelho forte). No. 5 e o Libero (L) participam da recepção, mas não atacam.

 

 

Esse é o trabalho a ser realizado. Simular todas as possibilidades de saque e os respectivos procedimentos a serem adotados por todos os jogadores. O objetivo deve ser o de consolidar a recepção do saque, função de vital importância para a eficência da estratégia ofensiva.

Notas

- Chamo atenção para a necessidade de estabelecimento dos procedimentos e a prática dos mesmos, em cada um dos seis rodízios.

- No diagrama anterior, utilizei como exemplo a recepção com 3 jogadores. Em equipes que colocam 2, 4 ou 5 passadores os procedimentos são outros e requerem bastante entrosamento.

Cont. no art. 17, com Treinamento Tático Coletivo - Seqüências de Exercícios.

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra