Estratégia/Tática - Artigo 14

Estratégia/Tática Coletiva - Recepção do Saque

 

- Treinamento Tático, Associado às Demais Funções do Sistema Ofensivo - Parte 2

 

- Simulação da Realidade.

O treinamento deve ser uma simulação, mais aproximada possível, de uma partida oficial. Todos os componentes devem ser meticulosamente elaborados, para que não haja muita diferença, entre o que os jogadores vivenciam nos treinamentos e nos jogos.

Os jogadores que estão treinando uma situação de jogo e os que estão fazendo o papel da equipe oponente, devem ter a responsabilidade de fazê-lo como se estivessem jogando, ou seja, com a maior eficácia possível. Quanto melhor for a qualidade de atuação de uns, melhor será a qualidade de atuação de outros e, por conseguinte, todos se aperfeiçoam.

Existe alguns expedientes válidos, a fim aproximar o treinamento da realidade do jogo, ou seja:

 

1. Arbitragem no Treinamento

Impede que os jogadores façam, no treinamento, o que não é permitido nos jogos. Alguns exemplos de violação da regra, que ocorre freqüentemente em treinamentos e, por força do hábito, também ocorre em jogos:

- da ordem de saque, os jogadores trocam de posição antes da bola entrar em jogo;

- do manuseio da bola, especialmente nos toques acima da cabeça;

- dos tempos, para sacar e rearmar.

 

2. Divisão do Tempo.

Um jogo é constituído de sets, com duração de, aproximadamente, 30 minutos e intervalos três minutos. O treinamento deve ser dividido, na medida do possível, da mesma maneira. Períodos intensos de 30 a 40 minutos e intervalos de 3 minutos. É muito comum o treinamento ser interrompido a toda hora, além das observações do treinador, para os jogadores beberem água, por brincadeiras, etc...

 

3. Material Similar.

O material para o treinamento deve ser similar ao utilizado nos jogos, principalmente as bolas, a rede e seus equipamentos (antenas faixas, etc...).

 

- Encadeamento das Funções e das Transições de um Sistema para o Outro.

 

1. Das Funções.

Há um encadeamento entre as funções do sistema ofensivo, em que todos os jogadores são responsáveis. O sucesso ou insucesso do sistema é, quase sempre, decorrente da excelência da cadeia recepção do saque, levantamento, ataque e cobertura do ataque. Sendo assim o treinador tem que despertar entre os seus jogadores o sentimento de solidariedade entre seus jogadores, ou seja. Diante de uma má recepção do saque, o levantador ou o jogador que levanta a bola deve esforçar-se ao máximo para melhorar a cadeia. Se este não conseguir, o atacante deve assumir a responsabilidade de contornar o problema, atacando com a maior competência possível. Se ainda não for possível, todos devem mobilizarem-se para recuperar a bola com a cobertura do ataque.

2. Dos Sistemas.

O treinamento tático, na maiorias das vezes, é realizado com duas equipes; uma praticando o sistema ofensivo e a oponente, praticando o sistema defensivo. A bola entra em jogo, por meio de um saque da equipe oponente e na continuidade as duas equipes desempenham as seguintes funções:

Equipe em Treinamento do Sistema Ofensivo:

- recepção do saque, executado pela equipe oponente;

- levantamento;

- ataque: - bem sucedido, recomeça com novo saque, da equipe oponente;

              - defendido ou amortecido pelo bloqleio, transição do sistema. ofensivo para o defensivo;

              - bloqueado, cobertura do ataque e reataque;

- continua ...

 

Equipe Oponente:

- saque;

- bloqueio (amortecimento da bola) ou defesa (bola dominada), transição do sistema defensivo para o ofensivo;

- continua...

Dessa maneira, as duas equipes praticam os dois sistemas em todas a sessões de treinamento tático coletivo e, por conseguinte, se familiarizam com o encadeamento que há no jogo. No voleibol atual, a capacidade com que uma equipe troca de uma função para outra, é fator preponderante para a performance final.

Cont. no art. 15, com Características do Treinamento Tático Coletivo

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra