Estratégia/Tática - Art. 12

Tática Coletiva - Recepção do Saque

- Tipos de Armações Táticas na Recepção do Saque.

- Recepção do Saque - Quanto ao Sistema de para o Ataque.

 

Sistema 5-1.

O voleibol encontrava-se estagnado, até o princípio da década de 60. Os europeus, representados pelas ex-União Soviética e Alemanha Oriental, dominavam os principais campeonatos internacionais, utilizando-se basicamente as bolas altas na extremidades da rede, atacadas com extrema potência, por jogadores de elavadas estaturas.

Os Japoneses instituíram o sistema 5-1 nas suas equipes femininas e masculinas e os ataques por meio de bolas de tempo e combinações. O jogo tornou-se muito mais veloz e com maiores alternativas táticas. Ocorreu, a partir de então, uma verdadeira revolução. Todas as equipes de todo o mundo, pouco a pouco, adotaram o sistema 5-1 e a nova maneira de atacar. Como não poderia deixar de ser, as equipes européias, com atacantes mais altos e mais fortes, jogando com maior velocidade, voltaram a prevalecer. A Polônia, campeã mundial e olímpica nos anos 70, apresentou o primeiro passo para a evolução do 5-1. Foi o ataque atrás da linha de ataque, pela posição 1, do jogador Thomas. O sistema 5-1 continuou a evoluir quando, no início da década de 80, o Brasil introduziu nos ataques do fundo, as bolas "chutadas" e inseridas nas combinações de ataque e, novamente, revolucionou o voleibol. No início dos anos 90, mais evolução. Também o Brasil, estendeu as bolas atacadas do fundo, às posições 5 e 6 e, muito em virtude dessa inovação, conquistou a Medalha de Ouro no Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.

Atualmente, no cenário internacional, todas as equipes em todo o mundo, masculinas e femininas - exceto Cuba, no feminino -, utilizam o sistema 5-1, com ataques do fundo. Com as mudançasnas regras do jogo, é para se esperar mais evolução. É apropriado pelas pricipais razões:

1 - apenas um levantador organiza o sistema ofensivo da equipe, o que aguça a sensibilidade estratégia do mesmo;

2 - desenvolve 2 levantadores (um titular e um reserva) de grande categoria, ao invés de quatro do sistema 4-2, o que é muito difícil;

3 - acrescenta mais um atacante nato, em relação ao sistema 4-2, antecessor do 5-1;

4 - nas rotações em que o levantador está na rede (pos. 2, 3 e 4), os jogadores mais velozes dispõem de maior espaço, para atacar após deslocamentos;

 

Apresenta algumas desvantagens e, em virtude das mesma, não é apropriado à equipes de iniciantes, de base, etc..., ou seja:

1 - centraliza responsabilidade excessiva, para o levantador;

2 - requer ao levantador atributos como inteligência, tática individual, habilidade, controle emocional, excepcionais;

3 - o levantador deve ter um perfil psicológico especial, com características como a "renúncia ao aplauso" e o "prazer em servir";

4 - requer extrema eficácia, da recepção do saque;

 

No diagrama a seguir, apresento um conjunto de fileiras de 5 quadras, para exemplificar o sistema 5-1.

Na primeira coluna de quadras, a Ordem de Saque de cada uma das 6 rotações.

Op - (em azul claro) - Oposto

A2 e A5 (em azul) - Atacantes de Ponta

A3 e A6 (em vermelho) - Atacantes de Bolas de Tempo

L1 (em verde) - Levantador

Na segunda coluna, a Formação com 5 Passadores na qual todos o jogadores - exceto o Levantador - participam da recepção

Nota

Ae equipes de alta competitividade não adotam mais a Fromação com 5. Dispõem de um Oposto (atacante de golpes extremamente potentes) que, de modo geral, não participa da Recepção. Nas equipes de iniciantes, Escolas e de Categorias de Base (infantil), que têm capacidade para adotar o 5x1, o Oposto pode e deve participar.

Na terceira, a Formação com 4 Passadores. Para exemplificar uma opção tática, excluí da recepção, os jogadores (A3 e A6), quando na rede, que atacam a bola de tempo.

Na quarta, com a Formação com 3 Passadores. Excluí da recepção 1 jogador da rede (A3 e A6), para atacar as Bola de Primeiro Tempo. Importante: as equipes de alta competitividade utilizam os Pontas Passadores (A2 e A5), quando na Zona de Defesa, para o Ataques do Fundo.

Não apresentei a Formação com 2 Passadores. Com a evolução do Saque do Tipo Viagem (*) os jogadores imprimem velocidades extraordinárias. Logo o mais comum é contar com 3 ou 4 Passadoes.

 

Nota

Em todas as quadras coloquei linhas tracejadas, em verde, para indicar a movimentação do Levantador e círculos, também em verde, que significam seu posicionamento na Zona de Levantamento.

 

 

Notas

 

A fim de acompanhar cada uma das armações de Recepção de Saque, recomento comparar a ordem de saque (primeira quadra das fileiras) com cada qual.

- No sistema 5-1, é necessária a infiltração do levantador sempre que este está no fundo. Em virtude disso, não apresentei, como nos outros sistemas, formações sem infiltração.

- É possível reparar no diagrama, que a formações com 3 Passadores é mais complexas e, portanto, desaconselháveis para equipes que não disponham de jogadores excepcionais, tanto na recepção quanto no levantamento e no ataque.

- O Líbero (veja matéria sobre o Líbero) pode substituir quaquer dos jogadores da zona de defesa.

 

Continuação no artigo 13, com Treinamento Tático Coletivo.

Home

Ir para Menu Vôlei de Quadra